segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Mercedes-Benz do Brasil faz avant-première do maior ônibus superarticulado para BRT do mundo

Mercedes-Benz do Brasil está prestes a oferecer ao mercado uma versão do chassi O 500 MDA para ônibus superarticulados com maior capacidade, para mais de 220 passageiros. 

Esta novidade foi anunciada pela Empresa, em avant-première, no Salão Internacional de Veículos Comerciais, o IAA 2016, maior evento mundial do setor, que está sendo realizado em Hanover, na Alemanha, entre 22 e 29 de setembro.

“Trata-se do maior superarticulado para sistemas BRT e o maior articulado da marca Mercedes-Benz no mundo”, diz Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas, Marketing e Peças & Serviços Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. “Este novo superarticulado já opera, em fase de testes, no maior BRT do Brasil, do Rio de Janeiro, que foi utilizado por 11,7 milhões de pessoas durante os Jogos Olímpicos, entre 5 e 21 de agosto, e que é o principal legado de mobilidade urbana para a população da cidade e para o grande número de turistas que a visitam anualmente”.

O anúncio desse novo produto do portfólio de ônibus da marca no Brasil foi feito por Roberto Leoncini juntamente com Hartmut Schick, chefe mundial da Daimler Buses.

“O novo O 500 MDA superarticulado para mais de 220 passageiros será atração da marca na FetransRio 2016, a maior feira do segmento de ônibus no Brasil, que será realizada em novembro na cidade do Rio de Janeiro”, diz Leoncini. “Esta é mais uma solução totalmente desenvolvida pela Mercedes-Benz do Brasil, que é o Centro Mundial de Competência da Daimler para desenvolvimento e produção de chassis de ônibus”.

Uma nova posição da captação de ar para o motor do veículo permitiu um maior aproveitamento de espaço interno, especialmente na parte traseira do ônibus. Juntamente com uma articulação robusta, isso possibilitou a configuração do salão de passageiros com 48 assentos, sendo um assento para cadeirante, e espaço para 175 pessoas em pé.

“Nosso novo superarticulado fará ainda mais diferença no mercado, oferecendo 10% de aumento no número de passageiros em relação ao O 500 MDA do atual portfólio, mantendo-se o mesmo comprimento total de 23 metros do veículo com apenas uma articulação”, diz Leoncini. “Ou seja, as empresas poderão transportar mais passageiros, otimizando a sua rentabilidade operacional, sem ocupar mais espaço nos corredores e faixas exclusivas do BRT e de outros sistemas, nos quais já tem uma imagem consolidada de eficiência, agilidade e conforto”.

No BRT do Rio de Janeiro, onde o novo veículo encontra-se em teste, já são 245 articulados e superarticulados Mercedes-Benz em circulação pelos corredores, reafirmando o sucesso dos produtos da marca nos principais sistemas de transporte coletivo no Brasil.

Além da mais completa linha de ônibus, a Mercedes-Benz oferece ao mercado assessoria especializada em transporte de passageiros, por meio de uma equipe totalmente focada em sistemas como o BRT, apoiando clientes, órgãos gestores e consultorias. Como exemplo, os profissionais da área deram importante contribuição às etapas de construção e operação do BRT do Rio de Janeiro.


A Empresa tem conhecimento e experiência mundial e local para a implantação desse tipo de sistema. A marca está presente hoje nos principais BRTs no mundo, como os do Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Brasília e Curitiba no Brasil, Bogotá na Colômbia, Santiago do Chile, México, Turquia e África do Sul. Os sistemas destes países estão entre os que mais transportam passageiros por ônibus urbanos no mundo.

Suzane Carvalho da dicas de segurança para motociclistas (parte 2)


MANN-FILTER LANÇA NOVOS ELEMENTOS FILTRANTES PARA VEÍCULOS LINHA LEVE

A MANN-FILTER, uma das marcas do grupo MANN+HUMMEL a maior fabricante do mundo em soluções de filtragem, apresenta ao mercado os novos elementos filtrantes do óleo e do ar para veículos de linha leve. Os novos modelos foram desenvolvidos para atender os veículos das montadoras BMW, Audi, Ford, Volkswagen e GM.

Para a Audi e VW, a MANN-FILTER apresenta os elementos filtrantes C 27 009 e C 14 130. À GM, a multinacional desenvolveu os filtros C 24 012 e C 24 028/1, este último que substitui o antigo C 24 028. Já para a BMW são apresentados os elementos filtrantes HU 816 z Kit e C 24 025, para óleo e ar, respectivamente. Completando a lista de lançamentos da companhia, o elemento filtrante do ar C 28 100 específico para o veículo comercial Ford Transit.


Veja abaixo as especificações dos produtos:


PRODUTO
MODELO-MOTOR
HU 816 z Kit - elemento filtrante do óleo
BMW Série 1 125i (03/15-); Série 3 320i 2.0 16V Flex (03/12-); 328i 2.0 16V Gas.(07/12-); 320i GT Sport Gas. (07/12-)
C 24 025 - elemento filtrante do ar
BMW Série 1 118i 1.6 16V Gas. (09/11-); 125i (03/15-); Série 3 316i 1.6 16V Gas. (12/13-); 320i 2.0 16V Flex (03/12-); 328i XDrive 2.0 16V Gas. (07/12-); 328i 2.0 16V Gas. (07/12-); 320i GT Sport Gas.(07/12-)
C 27 009 - elemento filtrante do ar
AUDI A3 1.4 TFSI Gas. (04/14-); VW Golf 1.4 16V TSI Gas.(10/13-)
C 14 130 - elemento filtrante do ar
AUDI A3 1.6 (05/03-); VW Passat 2.0 16V FSI Turbo - (Comfortline / DSG / Highline) - Gasolina - Automático / Tiptronic (05-07)
C 24 012 - elemento filtrante do ar
GM Tracker 1.8 16 V Flex (14-)
C 24 028/1 (antigo C 24 028) - elemento filtrante do ar
GM Cobalt 1.4 8V Econoflex (11/11-); 1.8 8V Flex (08/12-); Sonic 1.6 16V (05/12-); Spin 1.8 8V Econoflex (06/12-)
C 28 100 - elemento filtrante do ar
Ford Transit 2.4L TDCI (08-); 2.2 TDCi (12-)


Atentos as altas exigências da indústria automotiva e para manter o alto padrão de qualidade, os filtros MANN-FILTER passam regularmente por rigorosos testes de qualidade e seus processos de produção por auditorias de certificação .

Carlos Cunha Filho conquista mais dois pódios na F3 Brasil

Carlos Cunha Filho teve mais uma etapa positiva na Fórmula 3 Brasil, e terminou a quinta etapa da temporada, disputada no Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Londrina (PR) com mais dois pódios. Nas duas corridas desse domingo (25) Cunha Filho recebeu a bandeirada na terceira posição depois de algumas ultrapassagens.


Na primeira prova do dia, o piloto da EMS deixou morrer o motor do carro na largada. Após religar o carro, Cunha Filho passou a fazer uma corrida de recuperação, já que havia feito o terceiro tempo no grid. Conhecido por andar bem em piso molhado, o dono do carro número 54 manteve um bom ritmo, e viu Guilherme Samaia e Christian Hahn saírem da pista quando a chuva, que chegou durante a corrida, aumentou.



Na corrida de encerramento da etapa, Cunha Filho teve que tirar o pé na largada, fechando a primeira volta na quinta colocação. Na sexta passagem já era terceiro se aproximando bastante do segundo colocado Thiago Vivacqua. Mas uma avaria no carro após uma passagem pela zebra do S do traçado londrinense prejudicou o desempenho do carro, e o piloto mais jovem da Fórmula 3 Brasil apenas seguiu para completar em terceiro.

"No final, a etapa acabou sendo boa, com mais dois pódios. Na primeira corrida eu consegui manter um bom ritmo de corrida, e contei com os problemas dos concorrentes quando a chuva chegou. Na segunda bateria eu vinha muito rápido, mas senti um impacto muito grande no carro. A adrenalina caiu e achei que poderia quebrar a qualquer momento, o que não aconteceu", lamentou Cunha Filho.

Com mais 18 pontos conquistados, Carlos Cunha Filho se mantém na terceira posição da tabela do campeonato com 65 pontos, atrás de seus companheiros na equipe Cesário F3, Guilherme Samaia com 80 e Matheus Iorio com 124 pontos.

A próxima etapa está marcada para dia 16 de outubro em Curitiba.

Resultado Corrida 1*:
1-) 34 Matheus Iorio (Cesario F3) - 24 voltas em 28min14s672
2-) 36 Thiago Vivacqua (Hitech Racing) - a 0.806
3-) 54 Carlos Cunha (CF3) - a 1.364
4-) 12 Christian Hahn (CF3) - a 1.929
5-) 77 Guilherme Samaia (Cesario F3) - a 2.163
6-) 10 L. Felipe Branquinho (RR Racing) - a 2.681
7-) 52 Pedro Caland (Hitech GP) - a 1 volta

MELHOR VOLTA: Matheus Iorio, 1min04s653 (170,1 km/h)
*Resultados sujeitos a verificações técnicas e desportivas

Resultado Corrida 2*:
1-) 77 Guilherme Samaia (Cesario F3) - 29 voltas em 31min34s143 
2-) 36 Thiago Vivacqua (Hitech Racing) - a 10s610
3-) 54 Carlos Cunha (CF3) - a 15s501
4-) 34 Matheus Iorio (Cesario F3) - a 39a006
5-) 12 Christian Hahn (CF3) - a 43s829
6-) 10 L. Felipe Branquinho (RR Racing) - a 49s598

NÃO COMPLETOU
7-) 143 Pedro Caland (Hitech GP) - a 21 voltas

MELHOR VOLTA: Guilherme Samaia, 1min10S204 (170,1 km/h)
*Resultados sujeitos a verificações técnicas e desportivas


Classificação do Campeonato:
1-) Matheus Iorio - 124 pontos
2-) Guilherme Samaia - 80
3-) Carlos Cunha - 65
4-) Thiago Vivacqua - 64
5-) Christian Hahn - 45
6-) Artur Fortunato - 39
7-) Pedro Cardoso - 31
8-) Matheus Muniz - 26
9-) Leonardo de Souza - 22
10-) Luís Felipe Branquinho - 17
11-) Leonardo Raucci - 9
12-) Igor Fraga - 5
13-) Yurik Carvalho - 5
14-) Pedro Caland - 0

Formula 3 Light
1-) Pedro Caland - 93
2-) Renan Pietrowski - 60

PUMA CLUBE RJ FAZ REALIZARÁ MAIS UM ENCONTRO

Depois da Olimpíada a Barra vai voltar a tremer. É o Encontro de Outubro do PUMA CLUBE DO RIO DE JANEIRO, que no mês passado reuniu cerca de 100 carros antigos e este mês promete bombar ainda mais.

Como todos os meses o Encontro do PUMA CLUBE DO RIO DE JAJNEIRO acontece no Shopping UpTown Barra (av Ayrton Senna 5.500-Barra da Tijuca), no sábado, .dia 1º de outubro,a partir das 11 horas e se estende até as 19 horas..

Este mês o PUMA CLUBE DO RIO DE JANEIRO vai homenagear o Clube AGMH, que realiza o maior encontro de carros antigos do Rio, no Museu Conde de Linhares, em São Cristóvão.

Além disso, haverá a já tradicional distribuição do Troféu Eduardo Ribas, para o Puma do Mês e do Troféu J. R. Mahar, para o Clássico do Mês.

O Encontro de outubro contará com a participação do 147 Fiat Clube RJ, do Maveco Carioca, do Clube F100 RJ, do Carioca Kombi Clube, do Clube Santa Matilde e do Puma Club RJ. Além disso contaremos com o apoio do Portal AutoClassic, do site Car Point News e da Revista Torque.
 
Apareçam e tragam a família. Além dos Pumas e outros antigos o Uptown Barra oferece uma variedade de opções para compras e lazer, que certamente agrada a adultos e crianças.


Puma Clube do Rio de Janeiro: pumaclubedoriodejaneiro@gmail.com
Twiter: @puma_rio

Instagram: Puma_Clube_do_Rio_de_Janeiro

domingo, 25 de setembro de 2016

Suzane Carvalho da dicas de segurança para motociclistas (parte 1)

Aproveitando a Semana Nacional do Trânsito, a piloto e instrutora de pilotagem Suzane Carvalho da uma série de dicas voltadas para os pilotos de motocicletas.

Foto: Thiago Pinheiro


Centro de Treinamento de Pilotos Suzane Carvalho
http://CentroDePilotos.com.br
(11) 2690-4565 (net)
(11) 95421-8287 (tim)
(11) 97450-2589 (vivo

TRP expande linha de filtros no Brasil

A TRP, marca da PACCAR Parts, anuncia ampliação do portfólio de filtros no Brasil. Os produtos já estão disponíveis na rede de concessionárias da DAF Caminhões em todas as regiões do país.

A expansão da linha inclui: Filtro de Óleo Lubrificante, Filtro de Água (refrigerador), Filtro de Ar, Filtro de Combustível, Filtro de Combustível Separador de Água, Filtro de Óleo Lubrificante (com opção blindado), Filtro de Pólen (cabine), Filtro de Ureia (Arla) e Filtro de Óleo Lubrificante (câmbio).

Os filtros são fundamentais para o funcionamento adequado dos veículos. Em complemento, a manutenção correta aliada à mão de obra de qualidade, garantem melhor desempenho na função do produto e, consequentemente, podem aumentar a vida útil do motor e outros componentes.

Os novos filtros da linha TRP fazem parte da parceria com a Hengst. A empresa, fundada em 1958, é dirigida como empresa familiar em sua terceira geração. Atualmente, conta com plantas em nove países e cerca de 3.000 colaboradores. Em 2014 o volume de negócios da companhia girou em cerca de 400 milhões de euros.

Linha de peças TRP
A TRP é composta por peças de reposição universal, que podem ser utilizadas em caminhões, carretas e ônibus de todas marcas atuantes no país. 

A marca elegeu a rede de concessionárias DAF como representante de distribuição no Brasil devido ao rígido padrão de qualidade, treinamento e capacitação no fornecimento de peças da marca.


Um dos principais objetivos da TRP é facilitar o dia a dia do transportador. Dessa forma, os serviços de oficina de toda a frota podem ser realizados em um só lugar, com produtos de qualidade, mão de obra qualificada, ferramental de última geração e garantia PACCAR para as peças.

Equipe Lexus Sailing Team participa da 28ª Regata Internacional Recife – Fernando de Noronha

A Lexus Sailing Team, equipe de vela patrocinada pela Lexus Brasil, participa neste sábado, 24 de setembro, da 28ª Regata Internacional Recife – Fernando de Noronha (REFENO), considerada a primeira regata oceânica do País. 

A marca também é uma das principais patrocinadoras da competição, reforçando o seu apoio ao esporte náutico brasileiro.

A 28ª REFENO coloca a Lexus como patrocinadora de uma equipe de esporte náutico pelo quarto ano consecutivo, fazendo a ligação entre a identidade sofisticada da marca com um esporte de alto rendimento e trabalho em equipe.
A equipe da Lexus vai competir nas classes RGS e ORC. Os barcos partirão do Marco Zero, ponto turístico de Recife, e percorrerão 300 milhas náuticas (cerca de 545 quilômetros), com destino ao Mirante do Boldró, no arquipélago Fernando de Noronha.


Diferentemente de outros esportes, na vela não é apenas o barco que chega em primeiro lugar que recebe o prêmio. Além do fita azul, os três primeiros colocados das diversas classes também recebem troféus. A competição é organizada pelo Cabanga Iate Clube de Pernambuco, em parceria com a Associação Pernambucana de Vela Oceânica (APVO).

MAHLE apresenta filtro mais eficiente para motores downsizing

Filtros de ar nem sempre recebem a atenção devida na manutenção do carro, apesar de serem importantíssimos para garantir a qualidade do ar que entra no motor, o seu desempenho, a sua durabilidade, e até a economia do consumo de combustível. Notadamente nos novos motores com tecnologia downsizing, que em função do turbocompressor e da injeção direta necessitam eficiência superior na retenção da aspiração de corpos estranhos para dentro do motor.

Em função da evolução que vem sendo observada pela indústria automobilística, o Centro Tecnológico da MAHLE Metal Leve, em Jundiaí, SP, desenvolveu uma nova linha de filtros que já está sendo aplicada em alguns dos mais modernos motores downsizing à disposição do mercado brasileiro.

Ao contrário da maioria das unidades em uso nos nossos automóveis, o novo filtro MAHLE recebeu conformação arredondada. Com o novo desenho se conseguiu uma área de material filtrante maior e mais aberta, o que garante uma separação de impurezas mais eficiente e vida mais longa para o componente. Isso significa que ele terá maior capacidade de reter material contaminante que a maioria dos modelos até atingir a quilometragem recomendada para a sua substituição. Com esse formato ele também ocupa menor espaço sob o capô do carro. 

Uma das características que tornam o novo filtro ideal para os motores mais avançados é o fato dele ter recebido uma "grade" interna em material plástico, que entre outras atribuições tem a função de direcionar o ar que passa pelo seu interior. 

Projetada especialmente para causar um efeito de turbilhonamento no ar que passa pelo material filtrante, essa grade conta com aletas que laminam o ar e o direcionam de forma correta para o processo de combustão no motor. Isso foi fundamental por que esses motores vêm equipados com sensores que medem a vazão do ar que entra no seu interior. A "leitura" da quantidade do ar que é introduzido determina quanto combustível deve ser injetado para que seja realizada uma perfeita combustão. 

Outra função dessa grade é proporcionar estabilidade ao filtro, impedindo que ele altere seu formato. Como a sucção do ar que entra no motor é muito alta, essa estrutura interna evita que o material filtrante possa colapsar e interferir na sua eficiência de filtragem. Uma vantagem adicional do novo filtro é ter uma menor área externa nas suas extremidades, o que facilita a perfeita vedação das suas bordas impedindo que qualquer ar sem filtragem possa ser admitido pelo motor.

Competição da Scania que vale um caminhão 0 km já tem 30 classificados

A primeira final regional da competição Scania Driver Competitions (SDC) foi realizada no último fim de semana em 10 localidades diferentes. Integrante da fase 3, a etapa selecionou 30 motoristas para a semifinal. Outros 30 sairão vencedores da segunda final regional marcada para os dias 7, 8 e 9 de outubro, também em 10 municípios simultaneamente. 

Nas finais regionais, realizadas dentro de Casas Scania, os classificados (mais bem colocados nas fases 1 e 2) tiveram quatro horas de treinamento gratuito sobre legislação, preocupação ambiental e condução responsável, defensiva e econômica. Foram aplicadas provas teórica e de checklist (checagem de itens necessários antes de ser iniciada uma viagem), em três dias de competição (sexta, sábado e domingo). Para chegar aos 30 campeões das 10 cidades, cada um dos três dias contou com 20 motoristas em cada local – aprovados dentro do ranking de pontuação da própria região, nas fases 1 e 2, – e a cada dia apenas um saiu vencedor. 

Os 30 primeiros classificados para a fase 4 são: Cezar Alencar Zottis, Edgar Luis Zeni Junior e Antonio Dauri Copetti (Etapa de Caxias do Sul (RS) – Casa Scania Brasdiesel), Carlos Eduardo Mantovanelli Pagani, Nivaldo Aparecido Morais e Antonio Gilberto Rocco (Maringá (PR) – P.B.Lopes), Rodrigo Patrício Alberto, Leandro Aparecido Marques e Fernando Alves dos Santos (Guarulhos (SP) – Codema), Luciano Biegai, Vitor Sniegovski e Alexandre Borges de Oliveira (São José dos Pinhais (PR) – Battistella), Luciano Carlos Francisco, Alberto Fernandes e Vagner Ribeiro (Sumaré (SP) – Quinta Roda), Marcos Araldi, André Ferrazzo e Diogo Nichele (Eldorado do Sul (RS) – Suvesa), Juliano Antonio Paglioza, Wilson Eduardo Frigeri e Felipe Gavazzoni (Concórdia (SC) – Cavese), Wellen Diogo da Costa, Fabio Ferreira Veras e Thiago Alex Vicente (Rondonópolis (MT) – Rota-Oeste), Guilherme Francisco da Rocha Filho, Bueno Pessoa da Silva e Luis Fabiano Vitorino de Arruda (Jaboatão dos Guararapes (PE) – Movesa Trux) e Thiago Augusto Silva, Alessandro Ricardo dos Santos e Welder Santana Carneiro (Aparecida de Goiânia (GO) – Varella). 

Todos ganharam um curso presencial “Programa Caminhão Escola Avançado” de 40 horas, ministrado pela Fundação Adolpho Bósio de Educação no Transporte (Fabet) ou pelo Centro de Treinamento de Motoristas da Região Nordeste do Rio Grande do Sul (Centronor). Além de uma formação online da Série de Logística – Conceitos e Aplicações, do Sest-Senat ( Serviço Social do Transporte (SEST) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT)). 

Os 60 melhores da fase 3 disputam a semifinal (fase 4) nos dias 8 e 9 de novembro. Depois de provas teóricas, de checklist, de percurso e de manobras, restarão os 27 melhores, que no dia seguinte fazem a final nacional (10/11), a fase 5. As provas eliminatórias serão de manobras e habilidade ao volante numa corrida contra o tempo. Os 27 melhores da semifinal ganharão um curso presencial “Master Driver Scania” de 40 horas. O vencedor da final brasileira receberá um prêmio no valor de R$ 40.000. O segundo colocado ganha R$ 20.000, e o terceiro, R$ 10.000. Os três podem usar o montante para compras em rede conveniada e ainda levam para casa um kit de produtos Ipiranga. Os três primeiros da final brasileira vão disputar o caminhão zero km com os três melhores motoristas de caminhão da Argentina, do Chile e do Peru, na final América Latina (fase 6). Os 12 duelam no Brasil nos dias 26 e 27 de novembro. O vencedor ganhará um Scania Streamline R 440 6x2 zero km. 

As cidades que vão realizar a segunda final regional, em outubro, serão: São Luís (MA), Tubarão (SC), Governador Valadares (MG), Rio de Janeiro, São José do Rio Preto (SP), Contagem (MG), Joinville (SC), Feira de Santana (BA), Ji-Paraná (RO) e Viana (ES). A central de atendimento da competição vai convocar os participantes classificados. 

O Scania Driver Competitions conta com o patrocínio da Rede Graal, Librelato e Ipiranga. Os parceiros são C&A, Cargill, Danone e Grupo Pão de Açúcar, além do Centronor, Fabet, NTC&Logística, Pamcary, Polícia Rodoviária Federal, Sest-Senat e WCF, como apoiadores.  

sábado, 24 de setembro de 2016

Nissan Navara EnGuard Concept: a picape de resgate definitiva para todos os terrenos com bateria portátil de veículo elétrico

A Nissan revelou um veículo totalmente novo durante o Salão do Automóvel de Hannover 2016, na Alemanha. O Nissan Navara EnGuard Concept é uma picape durável e forte para qualquer terreno, desenhada para operar como uma plataforma de resgate de vidas em alguns dos ambientes mais extremos do mundo.

Baseado na versão cabine dupla Tekna da picape Nissan Navara (que, no Brasil, é conhecida como Nissan Frontier) – o Navara EnGuard Concept apresenta muitos elementos de design feitos sob medida e melhoras na performance. O conceito também recebeu equipamentos vitais adequados para o trabalho de recuperação de emergências e desastres, incluindo um drone avançado para fornecer informações vitais sobre os perigos que as equipes de resgate podem enfrentar.

O conceito também marca a estreia mundial de um protótipo de conjunto de bateria portátil, desenhado e desenvolvido pela Nissan. Este pacote utiliza as mais testadas tecnologias de baterias para veículos elétricos atualmente existentes nos 100% elétricos Nissan LEAF e e-NV200. Com mais de 250 mil veículos elétricos vendidos ao redor do planeta, a Nissan é líder no desenvolvimento de automóveis deste tipo e está idealmente apta a aplicar sua expertise para explorar novos segmentos de veículos e oportunidades para os consumidores no futuro.

Quando parado, as baterias estão constantemente em modo de 'carga', utilizando a energia gerada pelo motor 2.3L 190PS diesel biturbo do veículo para garantir que estas estejam prontas para uso de emergência quando necessário. Cada uma é uma unidade de 2 kW e utiliza sete módulos de baterias Nissan EV dentro de uma carcaça de alumínio à prova de quaisquer condições climáticas.

Dois soquetes de entradas (carga) e cinco soquetes de saídas (descarga) estão integrados a cada conjunto de bateria, que apresenta extremidades rebaixadas para permitir que seja facilmente transportado. Em um ambiente de resgate, poderiam ser usados para operar um equipamento de corte ou de levantamento de carga pesada, e foram projetados especificamente para fornecer uma alternativa eficiente para um gerador a gasolina.

Com zero emissões e nenhum combustível inflamável, baterias portáteis também podem ser usadas em espaços fechados, tais como um edifício ou uma caverna. Tomadas eléctricas adicionais são integradas em cada lado da cama de carga da picape.

Como parte da sua visão de Mobilidade Inteligente, a Nissan está trabalhando para explorar como sua tecnologia pioneira de baterias de veículos elétricos pode ser integrada ainda mais à sociedade. Este protótipo de conjunto de baterias fornece um exemplo real de como poderia ser aplicado a novos setores para fornecer soluções de energia mais limpas e sustentáveis.

Ocupando o resto do espaço na cama de carga estão duas bandejas de fibra de vidro pull-out. A bandeja superior contém itens leves, como rádios bidirecionais, cordas e um machado. A bandeja inferior é mais profunda e mais estreita, armazenando itens maiores, como um tanque de oxigênio e kit de reanimação, coletes salva-vidas e auxiliares de flutuação.

Chave para o papel de resgate do carro, está um drone  DJI Phantom 4 com um teto operacional de 6.000 metros. Pesando apenas 1.380 gramas, ele pode voar a velocidades de até 20 metros por segundo por cerca de 30 minutos e pode retransmitir imagens do que está em volta do carro-conceito. Estas imagens são vistas em uma tela HD disponibilizada na parede da cama de carga.

Em comparação com o padrão Nissan Navara (ou Frontier, no Brasil), a altura de passeio global do Navara EnGuard Concept foi levantada em 50mm, criando liberação de chão extra e aumentando ainda mais a atitude do veículo para "ir a qualquer lugar". Os arcos das rodas apresentam paralama sob medida, com novos degraus laterais moldados entre si.

O espaço de passageiros apresenta uma linha de teto completamente redesenhada, que é 136 milímetros maior do que na picape padrão. Ele incorpora um poderoso equipamento de iluminação 360 graus com luzes de emergência estroboscópicas azuis que equipam os quatro cantos e são visíveis de qualquer ângulo. Estrobos correspondentes estão integrados no topo de todos os quatro paralamas, além de faróis de nevoeiro dianteiros redesenhados e faroletes traseiros igualmente redesenhados.

A escolha das cores e sua localização foram feitas de forma muito cuidadosa durante o desenvolvimento do veículo, com foco especial em seu papel como um veículo de resgate. Por exemplo, pesquisas da Nissan revelaram que o verde fluorescente é a cor mais visível à luz do dia, e também mais facilmente identificável por pessoas afetadas por daltonismo. Tê-lo nas rodas e frisos laterais significa ser rapidamente descoberto pelos faróis dos veículos que se aproximam.

Sendo baseado no grau de acabamento superior da Tekna, isto significa que o Navara EnGuard Concept vem com muitas características padrão que seriam úteis em uma situação de emergência. Estes incluem o sistema de navegação por satélite NissanConnect para encontrar a rota mais rápida, melhor controle de clima dual-zone e bancos que se aquecem para o conforto dos ocupantes. Mais útil seria pioneiro da Nissan Around View Monitor, um sistema de câmera de 360 graus, que exibe uma imagem do olho de um pássaro desobstruída do veículo e seu ambiente na tela do painel. É uma ferramenta ideal para equipes de resgate, o que lhes permite navegar terrenos difíceis off-road sem causar atrasos por ter que sair do veículo.

Também muito útil, o pioneiro sistema de câmeras 360 graus Around View Monitor, exibe imagem desobstruída tipo 'olho-de-pássaro' do veículo e do ambiente ao redor em uma tela. É uma ferramenta ideal para quem trabalha com resgate, permitindo a eles navegar por terrenos off-road complexos sem se atrasar por ter de sair do veículo.


Philippe Guerin-Boutaud, Vice-Presidente Corporativo para Veículos Comerciais Leves da Nissan, comentou: "A Nissan Frontier é uma picape inteligente e robusta que nossos clientes dependem para ir a qualquer lugar e fazer qualquer coisa em suas vidas diárias. O Nissan Navara EnGuard Concept é uma extensão desse princípio, mostrando como a nossa premiada picape é perfeitamente adequada para lidar com os mais difíceis terrenos para salvar vidas".


O executivo afirmou ainda que: "O Navara EnGuard Concept abre um novo capítulo na visão de Mobilidade Inteligente da Nissan, com o nosso compromisso de zero fatalidades e zero emissões. Nosso protótipo de pacote de baterias portáteis para veículos elétricos revela como a Nissan irá integrar a sua tecnologia de baterias EV de renome mundial e experiência em novos setores no futuro".

DS PROMOVE A EXPOSIÇÃO “BOUCHARDON (1698 - 1762). UMA IDEIA DA BELEZA” NO MUSEU DO LOUVRE

Patrocionadora do Louvre desde 2015 e particularmente ligada à obra Pirâmide de leoh Ming Pei que encarna o espírito de vanguarda, a DS Automobiles renova seu compromisso com o museu por meio do apoio dado à nova exposição Bouchardon (1698-1762). Uma ideia da beleza. É no Hall Napoleon, debaixo da Pirâmide do Louvre, que o público poderá descobri-la.

Uma grande apresentação que celebra este excepcional artista, Edme Bouchardon, considerado como um dos melhores escultores da Europa e como um dos artistas mais criativos e mais fascinantes do século XVIII.  

Destaque de suas diversas especialidades (desenho, escultura, medalha, estampa) e de suas muitas técnicas (lápis, sanguínea, gesso, cera, bronze...), tal é o programa proposto para destacar este artista francês muitas vezes incompreendido.

Para Yves Bonnefont, diretor geral da marca DS, "Edme Bouchardon e seu olhar audacioso, o Louvre e sua pirâmide icônica, a DS e seu espírito de vanguarda... compartilham a ambição de oferecer ao mundo uma nova abordagem. Uma visão moderna que coloca a atenção aos detalhes e à inovação no âmago do processo criativo". E acrescenta: "Nascida em Paris, a DS Automobiles pretende encarnar, no automóvel, o know-how francês do luxo. Assim, temos o prazer de apoiar o Louvre nesta descoberta da obra magistral do "promotor da renovação nas artes".

Uma exposição a ser descoberta até 5 de dezembro de 2016 no Louvre e, em seguida, de 10 de janeiro a 4 de abril de 2017 no J. Paul Getty Museum de Los Angeles


ÔNIBUS MARCOPOLO VIALE BRS LOW ENTRY PRESENTE NA IAA 2016

A Marcopolo está participando da IAA 2016, maior salão internacional de veículos comerciais do mundo, que acontece em Hanover, na Alemanha, até o próximo dia 29 de setembro. 

A fabricante brasileira apresenta o moderno ônibus Viale BRS Low Entry, com chassi MAN.  Produzido em sua fábrica de Ana Rech, Caxias do Sul, o veículo está exposto no estande da MAN, no pavilhão da empresa na feira.




O novo Viale BRS Low Entry foi desenvolvido para oferecer mais conforto, segurança e comodidade para os usuários do transporte coletivo urbano. Possui chassi MAN 18.280 OT LE, tem 13.400 mm de comprimento e capacidade para transportar 79 passageiros, sendo 40 sentados e 39 em pé. 

Como diferenciais, o modelo é equipado com poltronas City estofada com padronagem em tecido e encosto de cabeça injetado, sistema de ar-condicionado, três câmeras de monitoramento para portas e salão de passageiros e piso com acabamento amadeirado, inédito em modelos urbanos.

ABTRANS inaugura nova área de cursos na Semana Nacional do Trânsito

Dentro da programação da Semana Nacional do Trânsito , a ABTRANS - Academia Brasileira de Trânsito - vai inaugurar o mais novo espaço para cursos de pilotagem de moto. Com uma área de 8.000 m2, a nova pista fica no estacionamento superior do Shopping D, na zona norte de São Paulo. A abertura será hoje (24 de setembro), sábado, com aula teórica e prática a partir das 9 horas.

A ABTRANS surgiu em 2013 a partir das experiências de dois profissionais da área de segurança de motociclista. Ronaldo Guimarães, 50 anos, é fabricante de equipamentos para motociclistas e Geraldo Tite Simões, 57 anos, é jornalista especializado e instrutor de pilotagem. Motociclistas experientes que rodam diariamente pela cidade, perceberam que não podiam mais ficar apenas olhando os erros cometidos no trânsito, principalmente pelos iniciantes e decidiram partir para a ação, criando a ABTRANS, uma empresa voltada para a qualidade de vida na mobilidade.

Tite Simões
"Depois de observar as estatísticas e o comportamento dos novos motociclistas decidimos que era hora de dar à cidade um espaço para ensinar as boas práticas no trânsito", afirma Tite Simões, que tem mais de 25 anos de experiência na formação de motociclistas. Segundo ele, "mais de 67% dos acidentes envolvendo motociclistas acontecem com quem tem menos de um ano de habilitação, o que comprova a necessidade de uma formação especializada". 

De acordo com Ronaldo Guimarães, "hoje muitos moradores de São Paulo estão adotando a moto como meio de transporte para reduzir até pela metade o tempo de deslocamento e isso traz novos motociclistas ao cenário urbano, que merecem de um treinamento mais eficaz".

Ronaldo Guimarães
Para o Shopping D essa ação vem ao encontro das preocupações com a segurança no trânsito. Por se tratar de uma ação social, a administração não só apóia a realização dos cursos como ainda contribuiu com a criação de um espaço coberto para montagem da sala de aula com 80 m2, capaz de receber até 30 alunos por turma.

As aulas serão realizadas aos fins de semana (sábado ou domingo a partir das 9 horas) para pessoa física e durante a semana para empresas. A carga horária varia de quatro a oito horas e podem se inscrever até mesmo pessoas não habilitadas. A ABTRANS dispõe de motos de 110 a 300cc para quem ainda não comprou.

Além das aulas, a ABTRANS realiza gratuitamente palestras sobre segurança no trânsito em empresas, motoclubes e universidades. O tema das palestras abordam todos os aspectos da mobilidade urbana, desde o pedestre, ciclistas, motociclistas e motoristas. 

Esta importante prestação de serviço conta com apoio da ABRACICLO - Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, bicicletas e Similares - e já formou mais de 2.000 motociclistas. 

Serviço 
Inauguração novo espaço de cursos ABTRANS.
Local - Shopping D - Av. Cruzeiro do Sul, 1100, Canindé, São Paulo. Entrada pela Portaria 1.
Data - 24 de setembro, a partir de 9 horas
Informações - info@abtrans.com.br 
Tel - (11) 5681-4518/ 9 9458-7351/ 9 7451-0208

Tenneco apresenta novo vice-presidente de aftermarket no Brasil

A divisão voltada ao aftermarket da Tenneco no Brasil está sob novo comando. O executivo de origem canadense, Antonio Jose Teodoro, assumiu a função de vice-presidente da área para a América do Sul e deve conduzir, juntamente com o Presidente da Tenneco para América do Sul, Josep Fornos, os negócios da Monroe Amortecedores, Monroe Axios, líder no desenvolvimento de componentes para suspensão, além da Walker, especialista em sistemas de exaustão. Todas marcas da Tenneco para o mercado de reposição.

Formado em Ciências da Engenharia pela University of Western Ontario, no Canadá, Teodoro chega à Tenneco em um momento especial para a empresa, que comemora 100 anos da marca Monroe e 20 anos da Walker em 2016, com o desafio de manter o contínuo crescimento e desenvolvimento dos produtos do grupo no aftermarket, mercado estratégico para a empresa.

“A Tenneco é mundialmente conhecida pela excelência na fabricação de amortecedores automotivos, componentes da suspensão e sistemas de exaustão. Meu objetivo é dar continuidade a esse trabalho, levando cada vez mais qualidade, inovação e soluções tecnológicas aos produtos do mercado da reposição”, diz o executivo.


Antonio Jose Teodoro tem passagens pela Gates Corporation, onde atuou por cinco anos como Presidente Comercial na América do Sul, Magna International, onde foi Diretor de Vendas nos Estados Unidos, além da Dura Automotive System e JAC Products Inc.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Roberto Nasser - De carro por aí

Coluna 3916 -23.09.2016 - edita@rnasser.com.br  

Arrumando a casa. Novos Uno 1,0 e 1,3
Não é novidade aos leitores da Coluna. Os novos Uno foram por ela descritos tanto nas modificações quanto na postura mercadológica, de portar novidades estéticas, de composição no conteúdo – chegando ao controle de tração -, marcados por novos motores, o GSM publicitariamente ditos Firefly.

Fiat tem problemas internos com leque de produtos sob o peso dos anos, supressão de alguns, e as vendas do Mobi, expectativo de ser o mais vendido da marca, sem sê-lo. O Uno, mais vendido e agora visualmente mais careta, inicia processo de renovação com alterações estéticas, incremento ao conteúdo, e novos motores.

Para entender, todas as marcas devem substituir motores em função das novas regras europeias e norte americanas de consumo e emissões. Sua mescla permeia ao Brasil e a globalização exibe padrão. Assim, os GSM são os Fire dos atuais dias, e sobre ele, com expansão de cilindrada, aposição de um turbo ou dois -, será unidade de força da maioria dos Fiat nacionais nas próximas duas décadas.

Uma olhada percebe liberdade conceitual. Desde as folgas mínimas internas nos motores concedendo utilizar óleo lubrificante 0W20, o uso de corrente sem manutenção acionando o comando de válvulas; sua capacidade de atrasá-lo em até 50 graus quando a velocidade está estabilizada; bombas de óleo e água funcionando sob demanda; alternador sem operar quando a bateria está carregada; sistema stop/start; bielas longas.

Vê-se, mudou o objetivo. Não se persegue potência mas torque, dado verdadeiramente influente em 90% do uso do automóvel.

Motores com bloco e cabeçote em alumínio e duas válvulas por cilindro para aumentar torque em baixas rotações e reduzir custo de produção. Família é modular, as peças internas – bielas, pistões, pinos, anéis, válvulas et coetera, são iguais, e o motor de quatro cilindros 1,3 é um três 1,0 com um terço a mais. Direção elétrica para economizar combustível. No conjunto, o motor 1,0 faz 10,4 ou 10,9 m.kgf de torque com gasácool ou álcool, maior dentre os 1.0 disponíveis no Brasil. Não buscando potencia, esta ficou entre 72 a 77 cv com os dois combustíveis.
1,3 gerando 13,7 a 14,2 m.kgf de torque e potencia de 101 a 107 cv.

Pesando pouco mais de uma tonelada, a fórmula promete bons resultados dinâmicos em capacidade de acelerar.

Preços entre R$ 42.970 e R$ 53.690 para o 1,3 com transmissão automatizada Dualogic. Considerando o Mobi inicial oferecido a R$ 29.900 ve-se, a Fiat criou espaço para separar os produtos por aplicação e conteúdo. O Mobi mantém o motor Fire em última geração de quatro cilindros, fim do ciclo.

Sem incentivos, mas com projetos
Nos últimos 50 anos de operação, a atividade de fazer veículos a cada crise juntava seus agentes e aplicava fórmula desequilibrada. Empregados e empregadores iam ao governo e pediam soluções para impedir demissões. Como a maioria dos governos não tem projetos, não utiliza a atividade alheia para alicerçar seu crescimento, resolvia de maneira prática: reduzia impostos. A opção satisfazia três partes e era confortável, pois jogava nas costas de um quarto participante, o contribuinte, sem consultá-lo sobre a redução da arrecadação em nome de favorecer um segmento – e desfavorecer os outros.

Nunca se saberá, efetivamente, a verdade da fórmula e dos números apresentados. Era mais elaborada quando de sua primeira edição, em 1965. Ao tempo, ao governo militar foi apresentada a primeira queda de vendas nos quase 10 anos de indústria nacional. Revendedores deram a sugestão, e governo complementou. Deu no Carro Econômico.

A fórmula se repetiu sem o componente de caráter popular, no governo Itamar Franco e os carros 1.0. Os Econômicos eram desequipados, pelados, desconto de 75% nos 25% do IVC, o imposto de então, e financiados em 90% pela Caixa Econômica Federal. Nos 1.0 IPI quase a Zero %. Ambos re engataram vendas.

As soluções mais recentes são superficiais, apenas reduzindo o IPI de algumas faixas de cilindrada do motor.

Agora, com queda monumental, a fórmula estressada não dá mais resultado. Phillip Schiemer, 52, presidente da Mercedes-Benz, o fabricante mais tradicional do país e quem anota 60% de queda de vendas 60% e as maiores dificuldades para reduzir o pessoal ocioso, foi o primeiro a dar o recado nas Páginas Amarelas da revista Veja: Subsídio é um modelo falido e com ele a indústria brasileira poderá sumir.

Empresas pensam em décadas, governos apenas na próxima eleição, a cada 2 anos. Empresas tem que vender e fazer lucros para pagar contas ao final do mês. Governo nem sempre paga as dívidas, emite precatórios, vende títulos, e rola as contas para os próximos. Indústrias são tocadas por executivos treinados por décadas. Ao interlocutor oficial não há exigências de preparo. Listados alguns recentes titulares do Ministério que mais troca de nome na Esplanada, serão lembrados como ativos apenas Luiz Fernando Furlan e Armando Monteiro. Os demais, sem conhecimento, vivência ou respeitabilidade, não se impuseram.

Antonio Megale, presidente da Anfavea, associação das montadoras, entrou na mesma trilha com objetividade de engenheiro: para ele indústria quer projeto para saber para onde e como vai o país. Stephen Ketter, brasileiro, apesar do nome, presidente da FCA, gerindo queda da liderança para terceiro lugar em vendas, autor da mais moderna das fábricas nacionais, endossa a tese.

Agora resta ao governo mostrar o caminho. Talvez ocorra. Marcos Pereita, bispo, ministro do Desenvolvimento, de quem os ajustes políticos caparam o comércio exterior, não foi aos EUA vender esperanças e projetos. Terá tempo para fazer o dever de casa.

Surpresa, Picape Mercedes no Salão de Paris
Mercedes-Benz em corrida para mostrar no Salão de Paris, final do mês, picape a ser produzido na Argentina, sobre base do Nissan Navara - foi antecipado mundialmente pela Coluna.

Morfologia conhecida, chassi por longarinas e travessas, cabine dupla, tração nas 4 rodas, transmissão automática de 9 marchas e, para o mercado brasileiro, um dos bons clientes, motor diesel de sua produção.

Fase de definição, nome oscila entre GL-T Class e X-Class. Pelo insólito, produto surpreendeu quando anunciado, mas o conceito depurou e a MB dos EUA agora quer produzi-lo, onde picape é o carro mais vendido. Vendas demoram – agosto de 2017. Motores a gasolina, diesel, e versão híbrida, caminho natural destes tempos. Quer ter uma noção? Enfeite e equipe um Amarok.

Roda-a-Roda
Tecnologia – Ganhos tecnológicos em projeto, desenvolvimento e construção levam fabricantes de automóveis a se aproximar da tecnologia de impressão 3D. Difícil imaginar automóveis feitos com painéis produzidos por impressora chique, mas é o caso.

PSA – Após Ford e Opel entrar no negócio, fabricante de Peugeots e Citroëns fez acordo com a californiana Divergent 3D, desenvolvedora de processo para impressão de peças complexas. Busca-se construir veículos mais leves por processos reduzindo custos, poluição, consumo.

Lei - Promessa nunca efetivada pelo governo de Christina Kirchner, aprovar projeto da Câmara dos Deputados legalizando as pequenas fábricas de automóveis na Argentina, deve se tornar a lei de Autos Artesanales Argentinos. Permitirá patentear, construir, vender a mercados interno e exportar.

ACIARA – Associação de Construtores Independente de Automóveis da República Argentina, é o nome da entidade, já acordou protocolo com o governo para circulação dos veículos após homologação.

Produto – Argentina tem talento no setor, obrigado a mágicas e firulas para sobreviver. Mais conhecido dos veículos, o Pur Sang, cópia de Bugatti type 35, incluindo mecânica e motor.

Gentileza – Associação participará ativamente da restauração do Cadillac ’55 conversível, ex Perón, desejo do Presidente Mauricio Macri em tê-lo no Museu da Casa Rosada. Macri é do ramo: construiu Peugeots.

Creta – Nome do utilitário esportivo, próximo da Hyundai do Brasil suscitou dúvidas. Porque não outro, identificado com o Brasil, como o faz na pequena República Dominicana, onde é chamado Cantus ?

Fica – Diz Cassio Pagliarini, diretor de marketing: “ O nome Creta já é aplicado nos mercados próximos ao Brasil e teve grande sucesso na Índia e Rússia, com vendas muito expressivas já no seu primeiro ano de vida. A nomenclatura ix25 é válida apenas para a China. Aqui no Brasil, o nome Creta foi testado sem rejeições pelos potenciais clientes e vai colaborar na construção da marca global do produto, mesmo que existam diferenças específicas de país para país. Naturalmente, eu acho a nossa versão a melhor delas!”

Mercado – Maior segmento no mercado nacional é o de SAVs, os Sport Activity    Vehicles, detentores de aparência e valentia pela posição superior para dirigir e maior distância livre do solo. Usam motores de tamanho e potência contidos e tração apenas em duas rodas.

Padrão - No Creta Brasil, inicialmente, motor L4, 1,6 litro e 123 cv, 15,4 m.kgf de torque, transmissão mecânica e automática de 6 velocidades. Preço deve ser abaixo dos pouco críveis pedidos por Honda HR-V e Nissan Kicks.

Renascer – Chegando ao fim do problema e iniciando a solução para motores diesel leves acusados de emitir poluentes acima da lei. VW caminhões e ônibus, um dos 12 braços do império VW AG, fez festa de abertura do IAA, maior salão de transporte no mundo.

Evidência – Estava reclusa, quieta em divulgação, e o melhor sinal da volta é retomar oportuna tradição por ela aberta em recepcionar convidados e jornalistas de todo o mundo em avant première. Nome ajuda a imagem, foi Start up Night, tipo voltamos com tudo. Comando pelo brasileiro Roberto Cortes, apresentação do sistema Volksnet, de monitoramento, desenvolvido no Brasil, e do caminhão Constelation 25.420.

Fechou – Quem quiser entrar no negócio de vender e assistir Porsches, deve esperar. Stuttgart Veículos, uma das duas redes do país, completou plano de expansão com loja em Florianópolis, a sétima em seis cidades: S Paulo, Rio, Curitiba, Porto Alegre, Campinas, Recife. Stuttgart detém 25% da Porsche Brasil, representante nacional.

Marca – Porsche Brasil resolveu auditar todos os re-call da marca. Quantidade pequena, 139 veículos. Chamou os proprietários por telefone e convenceu-os aos reparos gratuitos. Moral da história, 100% de atendimento – média nacional é a metade.

Outro – Ministro das Cidades – onde se alojam os assuntos do trânsito -, e diretor do Denatran, anunciaram formação do Comitê Empresarial de Segurança Viária. Querem ouvir sugestões para implementar medidas capazes de deter a ascensão de acidentes e perdas no trânsito.

Faróis – Aproveitando a Semana Nacional do Trânsito Bosch destaca a importância do sistema de iluminação como item de segurança. Sugere sejam verificados periodicamente para garantir boa visibilidade aos condutores e não ofuscar visão de outros motoristas.

Moto – Moras no Paraná ? Vais passar em Curitiba entre 7 a 9 de outubro ? Gosta de motos? Vá ao Brasil Motorcycle Show. Será no Espaço Renault, dentro do Parque Birigui. Boa parte das presentes no mercado, e atrações como personalizadores. Aproveite e visite o museu do automóvel nas proximidades.

Paulistanidades – És antigomobilista? Votas na capital de S Paulo  Duas chapas não tem passado recomendável quanto à atividade. Se o conceito pesa para ganhar seu voto, considere. Por cronologia.

Erundina - Quando o Ministério das Relações Exteriores colocou dois Itamaraty Executivos à venda, o Museu Nacional do Automóvel foi ao chefe de gabinete de Luiza Erundina, então Ministra da Administração, ponderar sobre a venda de automóveis raros, ligados à história do país, por quantia rala. Resposta foi de ser questão inexpressível – e que o Museu, privado, preocupado com patrimônio público, comprasse os automóveis.

Mais – Quando Prefeita da capital paulista foi inflexível em questão com o Veteran Car Club, levando-o a fechamento.

Matarazzo – Andrea, antes candidato e agora vice na chapa Marta Suplicy, era Secretário de Cultura em S Paulo, e o mesmo Museu denunciou vandalismo e sumiço do acervo tombado do Museu Paulista de Antiguidades Mecânicas, o Museu Lee em Caçapava, SP, sob sua jurisdição.

… 2 - Em vez de fazer auditoria e apurar responsabilidades, como requerido, acertou-se com sua prima, a responsável pelo Museu, para doação à Prefeitura de Caçapava, apagando o passado, os danos, a lesão ao patrimônio cultural, pois os veículos estavam tombados por sua Secretaria.

Marta – Querendo o prédio para finalidade menor, Ministério dos Transportes conseguiu lacração do Museu Nacional do Automóvel, em Brasília. A então senadora foi nomeada Ministra da Cultura, e imediatamente a entidade solicitou audiência, buscando apoio para solver a questão diretamente com o Ministério dos Transportes. Nunca a Ministra teve interesse ou agenda, omitindo-se a salvar o Museu na Capital Federal. De falsas culturas e interesses sociais o país – e agora as prisões – estão cheios.

Há sessenta anos Mercedes começava o diesel no Brasil
Última semana de setembro de 1956 a Mercedes-Benz fez profunda e pioneira marca na história da indústria automobilística brasileira. Superou o esquema consentido à época, a montagem de partes importadas – onde se incluía o motor - e apresentou o caminhão 312, com motor feito no Brasil. O evento dividia a história e indicava, o fabricante com origem na criação do automóvel dava o aval para o futuro da atividade no Brasil.

A empresa havia quebrado o estigma do sub desenvolvimento da América Latina – onde não se fabricavam motores sob a alegação técnica norte-americana de ser impossível garantir estabilidade dinâmica aos blocos vasados sob calor tropical. Em dezembro do ano anterior, através da Sofunge, depois adquirida, mesclando sonhos, utopias, as esperanças para o chegante governo JK, e o conhecimento de engenheiros alemães da Mercedes e brasileiros, havia fundido, usinado e dado como operacional o primeiro motor feito no Brasil.

Era um seis cilindros em linha, diesel, em ferro fundido, produzindo pelas medidas de época 110 hp, com ignição por vela térmica e pré câmara de combustão – o pico de tecnologia para melhorar a queima do combustível e expelir menos fumaça preta.

Pioneiro L-312, apelidado Torpedo, Pescocinho, com referência ao motor projetado fora da cabine,  transportava entre 5 e 6 toneladas de carga bruta, surgiu apoiado em campanha publicitária e pintada no para choques dianteiro a frase O que é bom já nasce diesel, alusão ao caminho que iniciava abrir – então apenas 2% da frota utilizava variadas marcas importadas e os montados localmente, Ford, Chevrolet, International, Studebaker, operava a gasolina,.

Do pioneiro L-312 Torpedo foram produzidos 6.054 unidades até 1958, quando substituído pelo 321, com cabine avançada. Até hoje a Mercedes-Benz produziu 1.450.000 caminhões no Brasil.