quarta-feira, 15 de julho de 2020

Dunlop amplia parceria com FCA e fornece 100% dos pneus da nova Fiat Strada Volcano


A Sumitomo Rubber do Brasil foi escolhida pela FCA como fornecedora de pneus para a recém-lançada Fiat Strada 2021. A parceria de sucesso entre Dunlop e FCA já ocorre desde 2016, através do fornecimento de pneus para outros veículos da linha Fiat, como Mobi, Uno e Argo. Com o lançamento da nova Fiat Strada, as empresas fortalecem ainda mais as relações através desta nova negociação.

Em sua versão Volcano, topo de linha, a nova Fiat Strada sairá de fábrica com o pneu Enasave EC300+ na medida 205/55R16 91H sendo que a Dunlop equipará 100% dos veículos produzidos dessa versão.

Para a Dunlop, esta escolha representa um importante passo em sua estratégia de expansão no Brasil ampliando assim a presença e visibilidade da Dunlop no equipamento
original dos veículos do mercado nacional.

Características e benefícios do modelo: O Dunlop Enasave EC300+ oferece maior durabilidade e aderência em superfícies secas e molhadas. Com perfil arredondado e melhor distribuição da área de contato ao solo, auxilia na capacidade de absorver impactos e reduzir desgastes irregulares causados pela superfície, tornando-o mais resistente e preparado para o solo brasileiro.

Detentora das marcas Dunlop, Falken e Sumitomo no país, a Sumitomo Rubber do Brasil investe em tecnologia de ponta para oferecer produtos com qualidade e segurança para seus clientes. A fábrica instalada em Fazenda Rio Grande é uma das mais modernas do grupo no mundo e está preparada para produzir pneus para veículos de passeio, vans, SUVs e caminhões e ônibus.

Grupo São Paulo Transportes reforça frota com seis MAN TGX 29.480


A previsão de aumento na safra do milho desperta boas perspectivas não apenas para o agronegócio, mas também para o mercado de transportes. Isso porque as mais de 100 milhões de toneladas da commodity esperadas para este ano serão escoadas, em grande parte, por caminhões. Esse é um dos motivos que levaram o Grupo São Paulo Transportes a renovar recentemente sua frota com seis cavalos mecânicos MAN TGX, em sua versão mais potente: 29.480.

O Grupo São Paulo realiza o transporte de cargas a granel e cargas secas em rotas por todo o país, com destaque para os Estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e – mais recentemente – o Pará. Para isso, seus caminhões são dotados de implementos como o rodotrem graneleiro e rodocaçamba.
 

Os MAN TGX 29.480 adquiridos pelo Grupo São Paulo Transportes são cavalos mecânicos com tração 6x4, indicados para o transporte rodoviário de carga em médias e longas distâncias, em composições de 57,0 a 74,0 toneladas de PBTC – Peso Bruto Total Combinado. Os veículos são impulsionados pelo motor MAN D26, de 12,4 litros, que oferece potência máxima de 480 cv e torque máximo de 2.400 Nm numa ampla faixa de rotações. A transmissão é automatizada TipMatic de 16 velocidades. Espaçosa e requintada, a cabine está disponível nas versões leito teto baixo e leito teto alto.

VOLARE FLY 10 IDEAL PARA TURISMO E FRETAMENTO NO PARANÁ


Imagens: Ronaldo dos Santos
A Guarios, operadora de transporte da cidade de Guarapuava, na região central do Paraná, acaba de incorporar à sua frota o primeiro Volare Fly 10. O veículo, entregue pela concessionária Rodo Oeste, será utilizado para fretamento e turismo.

A Guarios possui frota total de 39 veículos. O Fly 10 desenvolvido para a operadora conta com poltronas Executiva 940mm, sistema de ar-condicionado de teto Spheros CC205T, parede de separação total, cortinas, itinerário eletrônico, bagageiro, preparação para sistema de entretenimento, com DVD e monitor, porta-copos integrados às poltronas,
porta-pacotes e piso com acabamento que imita madeira para mais sofisticação.

Com 10.145mm de comprimento total e capacidade para 36 passageiros (34 mais motorista e auxiliar), possui com Dispositivo de Transposição Acessível e tomadas USB em todas as poltronas. Equipado com motorização Cummins ISF 3.8, de 162 cv de potência, sistema de freio eletropneumático, conta com bagageiro traseiro com 4.000 litros de capacidade e maior vão de acesso.

terça-feira, 14 de julho de 2020

Stock Car e Stock Car Light anunciam primeira etapa de 2020 em Goiânia


A Stock Car e Stock Car Light confirmaram nesta terça-feira (14) a realização da primeira etapa de 2020, após a Secretaria da Saúde do Estado de Goiás analisar o protocolo de segurança produzido pelos organizadores e emitir autorização para que o principal campeonato brasileiro de automobilismo abra a temporada no próximo dia 26 de julho. Após a retomada de torneios importantes como a Fórmula 1, Nascar, Indy e campeonatos de futebol da Europa e no Brasil, a Stock Car torna-se mais uma competição profissional de ponta a dar início às suas atividades em 2020. Em função da quarentena gerada pelo coronavírus, a Stock adiou todas as etapas do primeiro semestre e agora retoma sua temporada
justamente em Goiânia, onde havia planejado iniciar seu campeonato antes da pandemia. As corridas serão realizadas com portões fechados, sem público, e contarão com um número restrito de profissionais envolvidos com as provas.

“Até o momento nós não havíamos anunciado nada em relação à abertura da temporada pois sempre estivemos aguardando a decisão das autoridades sanitárias locais“, diz Carlos Col, CEO da Vicar, empresa organizadora da Stock Car e da Stock Light. “Mas estamos felizes agora em poder anunciar que vamos abrir a temporada, seguindo a orientação das autoridades e ainda com um protocolo de segurança muito rígido, que vai possibilitar que trabalhemos dentro de um alto padrão de segurança se comparado à maioria absoluta das atividades liberadas para o momento”, diz o dirigente.

O início da temporada da Stock Car traz para os fãs brasileiros do automobilismo uma grande novidade: a principal categoria do país colocará na pista o projeto 2020, que apresenta os dois novos carros a serem utilizados pelos maiores pilotos em atividade no Brasil. O renovado Chevrolet Cruze Stock Car e o estreante Toyota Corolla Stock Car, que entrarão na pista com novidades técnicas, visual arrojado baseado nos modelos de rua e o tradicional equilíbrio de desempenho que historicamente tem marcado as temporadas da Stock, tornando-a uma das categorias mais admiradas em todo o mundo pela imprevisibilidade na pista.

A programação completa da primeira etapa da Stock Car será apresentada em breve.

WAGNER GONZALEZ em Conversa de pista

Wagner Gonzalez
Após duas vitórias da Mercedes F-1 segue para a Hungria

O ineditismo de duas corridas em dois fins de semana consecutivos contrastou com o fato das duas vitórias da equipe Mercedes enquanto o campeonato prossegue para a terceira corrida em três fins de semana consecutivos, algo que não é novidade, mas é raro na história da categoria.

O ineditismo de duas corridas em dois fins de semana consecutivos contrastou com o fato das duas vitórias da equipe Mercedes, que mantém a hegemonia na F-1
desde 2014. Seus dois pilotos venceram uma prova cada e Valtteri Bottas lidera o campeonato com 43 pontos, seis à frente de Lewis Hamilton, vencedor do GP da Styria, dispurado domingo (foto de abertura/Mercedes). Agora o Campeonato de 2020 prossegue para a terceira corrida em três fins de semana consecutivos, algo que não é novidade, mas é raro: a primeira vez que aconteceu nos 70 anos da categoria foi em 2018, com a disputa dos GPs da França, Áustria e Grã-Bretanha. A ideia não foi aprovada, mas este ano ressuscitou como a salvação da lavoura para compensar o calendário iniciado com quatro meses de atraso. A curta distância entre as pistas da Áustria e da Hungria permite que a partir de hoje as equipes já iniciem a montagem dos boxes em Hungaroring. Vale lembrar que em 1986, ano do primeiro GP húngaro, as limitações para chegar em Budapeste fez muita gente viajar de carro desde Viena, caso deste colunista.


Mattia Binotto (D) tem a dificil tarefa de recolocar a Ferrari o caminho da vitória 
Voltando a 2020 nota-se que o ambiente na categoria, porém, mudou pouco: duas corridas temporada adentro e já se contam inúmeros casos de disputas dentro e fora das pistas, indefinições sobre o futuro de pilotos campeões, veteranos e jovens e as eternas crises da Ferrari. Todos temas já conhecidos, mas que envoltos em nuances diferentes ganham contornos que ajudam a interpretar a atualidade do circo. Enquanto o time de Maranello sofre com um projeto que demonstra estar aquém da concorrência, a Renault formalizou protesto contra a Racing Point alegando que esta última usa componentes do modelo 2019 da Mercedes, algo que o regulamento não permite. A briga entre duas equipes que disputam o segundo pelotão do grid não deixa de ser interessante: há milhões em jogo em prêmios por pontuação, demanda que esquenta face à competitividade entre os
Cyril Abiteboul, chefe da equipe Renault: protesto contra carro da Racing Point
times.

Desde que o Campeonato Mundial de Construtores foi criado, em 1958, é possível identificar dois cenários distintos no que diz respeito ao equilíbrio de forças neste contexto. Até 1979 a disputa foi bem mais intensa: em 22 temporadas nove equipes chegaram ao título: Vanwall (1958) Cooper (59/60), Ferrari (1961/64/75/76/77), Lotus (63/65/68/72/73/78), Brabham (66/67), Matra (69), Tyrrell (71) e McLaren (1974).

Valtteri Bottas (E) e Lewis Hamilton devem continuar juntos em 2021
A partir de 1980 nota-se que uma equipe tende a dominar por períodos mais longos: o atual reinado da Mercedes chega a seis temporadas consecutivas (2014 a 2019), enquanto a Ferrari conquistou dez títulos (1982/83/99/2000/01/02/03/04/07/08), a Williams soma nove (1980/81/86/87/92/93/94/96/97); a McLaren, sete (1984/85/88/89/90/91/98) e a Red Bull, quatro (2010/11/12/13). Renault (2005/2006), Benetton (1995) e Brown (2009) fecham a lista. Números frios e calculistas destacam que o período aumentou de 21 para 40 anos, mas o número de equipes campeãs baixou de nove para oito.

Tal concentração se reflete também na distribuição de renda das equipes e, consequentemente, na composição do grid. Em 1988 o número de equipes que participava da temporada chegou a 18 e subiu para 19 em 1990; como muitas delas não tivessem meios para sobreviver os calotes surgiram. Para proteger o negócio a FIA e Bernie Ecclestone pouco a pouco impuseram condições cada vez mais severas para acabar com aventureiros e há anos o grid está consolidado em 20 carros de 10 equipes. A variação ocorre mais na compra e venda da franquia representada por um time que já participa da F-1 do que da chegada de novas equipes. A última a ser lançada como inédita é a Haas, que estreou em 2016.

Ferrari não proveu a Vettel o ambiente que ele precisa para se destaca
A consolidação do número de vagas no grid fez surgir um problema diferente: como abrir espaço para que novos talentos se preparem para substituir aqueles que se aposentam ou são dispensados? Tal conjuntura é agravada pela limitação de treinos livres e um sistema que atribui pontos a aqueles que se destacam em categorias pré-definidas. Como que a replicar aquilo que o futebol eternizou como contrato de gaveta, várias equipes lançaram suas academias de pilotos na esperança de descobrir o novo Max Verstappen, fenômeno que estreou na F-1 com 17 anos (Austrália, 2015) e aos 18 venceu seu primeiro GP (Espanha, 2016).

Ocorre que o sistema não funciona como esperado: a Renault viu-se obrigada a promover o retorno do veterano Fernando Alonso para preencher uma vaga na equipe para 2021, a Williams convenceu Felipe Massa a ficar mais um ano na equipe quando Valtteri Bottas foi contemplado com a vaga criada pela aposentadoria inesperada de Nico Rosberg e a Ferrari não conseguiu promover nenhum os seus pupilos para substituir o alemão Sebastian Vettel, cujo currículo ostenta quatro títulos mundiais. Tudo isso em um quadro onde não faltam pilotos de testes, de desenvolvimento e alcunhas similares.

 Vettel (E) ainda tem possibilidades de seguir na F-1 em 2021, longe de Leclerc
Vettel ainda tem condições de contribuir bastante com uma equipe, particularmente se for envolvido em uma atmosfera de trabalho que o proteja e o prestigie, fatores que a Ferrari não lhe proveu nas últimas temporadas. Com a possível confirmação que Valtteri Bottas vai permanecer mais um ano na Mercedes as opções que sobram para o piloto alemão parecem reduzir-se a uma vaga na AlphaTauri, na Alfa Romeo-Sauber ou na Racing Point, que no ano que vem será renomeada Aston Martin.

AlphaTauri está em ritmo de crescimento e pode ser opcão para Vettel
Cada possiblidade enseja uma proposta diferente: a primeira delas marcaria seu retorno ao território Red Bull – onde venceu seus quatro títulos -, num processo para desvincular a equipe dos energéticos: AlphaTauri é a divisão dedicada à confecção de roupas de estilo casual premium e utilização de materiais avançados. A chegada de Vettel ajudaria a posicionar a marca a um patamar superior e explorar melhor os recursos do grupo. Novamente aqui nota-se que mesmo os pilotos adotados pelo Reino do Touro Vermelho não têm prestígio para tamanha empreitada. Uma vaga na Alfa Romeo Sauber seria uma forma da Ferrari pagar algo equivalente ao fundo de garantia da CLT brasileira, mas o mal-estar entre o piloto e Maranello não contribui para esse final feliz.

Racing Point vira Aston Martin no ano que vem, fato que pode seduzir Vettel
Já na Racing Point a situação é complicada, porém superável: o filho do CEO da equipe, Lance Stroll, tem cadeira cativa em um dos dois carros e o mexicano Sérgio Pérez traz algum dinheiro para o time e é mais rápido e experiente que seu companheiro de equipe. Lawrence (o pai de Lance) é o maior acionista da Aston Martin, fábrica com ligações com a Mercedes são cada vez mais profundas e podem alinhavar um acordo possível e, mesmo assim, surpreendente que ajudaria a recuperar a tradicional marca inglesa, Tobias Moers, o novo CEO da empresa, até recentemente era quem administrava a divisão AMG, responsável pelos modelos de alto desempenho da casa alemã. Se Vettel chegar a chance de Pérez continuar na F-1 pode ser um lugar na Haas ou na Alfa Romeo Sauber.
O resultado completo do GP da Styria você encontra aqui.

Mercedes-Benz inicia as entregas do Novo Actros pelo Brasil


A Mercedes-Benz iniciou, neste mês de julho, as entregas do Novo Actros. A Alimentos Lopes, da cidade de Nova Londrina, no Paraná, é o primeiro cliente a receber duas unidades do Novo Actros 2548 6x2, caminhão mais inteligente, conectado, eficiente e seguro do país.

Os dois Novos Actros foram entregues para a Alimentos Lopes pelo concessionário Ingá Veículos de Paranavaí (Paraná). Os veículos farão o transporte de alimentos à base de amido de mandioca para cerca de 2,5 mil clientes, sendo 95% para o mercado nacional e 5% para os seus mercados de exportação.

O Novo Actros trouxe para o mercado brasileiro diversas inovações, entre elas o ABA 5 de série, único sistema que freia automaticamente o caminhão quando identifica pedestres, veículos e obstáculos estáticos e móveis à sua frente, caso o motorista não tome a ação necessária. Além dessa tecnologia, o modelo traz outros itens importantes, como Ponto Cego, Assistente de Fadiga, Programa Eletrônico de Estabilidade ESP, Controle de Proximidade e Assistente de Faixa
de Rolagem. Todas essas tecnologias fazem do Novo Actros o caminhão mais seguro do País.

E tem mais: o Novo Actros é também o primeiro caminhão digital do Brasil, pois traz diferenciais em conectividade, como dois painéis digitais (um deles touch screen), espelhamento de celular via Apple CarPlay ou Android Auto, recarga sem fio e muitos outros recursos. Além de todas essas inovações, o cliente pode comprar o caminhão com MirrorCam, sistema inédito no mercado brasileiro e que substitui os retrovisores externos convencionais por câmeras digitais.

Inaugurada em 1994, a Alimentos Lopes é uma das marcas de alimentos à base de amido de mandioca. A empresa com sede em Nova Londrina, no Paraná tem  três outras unidades industriais no Paraná e uma no Mato Grosso do Sul.

BMW R 60/6 foi a escolhida de Elspeth Beard, famosa por dar a volta ao mundo na década de 1980


Quando partiu para andar de moto em 1982, a inglesa Elspeth Beard nem imaginava que um dia sua história se tornaria um livro. Protagonista da autobiografia “Lone Rider” e personagem que desbravou mais de 55 mil quilômetros mundo afora a bordo de uma BMW R 60/6, Beard foi uma das primeiras mulheres inglesas a andar de moto ao redor do mundo. Na época, com 23 anos e estudante de arquitetura, ela trabalhou em um pub londrino para economizar dinheiro e custear a sua aventura. Beard escolheu a BMW, pois sabia que a marca era confiável e tinha tudo o que precisava para a enfrentar a sua empreitada.

Começando por Nova York, a jornada de Beard tomou rumo para o Canadá, depois México e seguiu para a América, via Los Angeles. Lá embarcou em um navio com destino a Sidney, onde permaneceu por sete longos meses, partindo depois para Cingapura. Na cidade, um contratempo que desafiou Beard a seguir seu caminho: todos os seus pertencentes foram roubados, o que a forçou a permanecer no local. Apesar disso, a Ásia também brindou Beard com a oportunidade de passar pela Malásia, Bangkok, Mai e o Golden Triangle. Na Tailândia, a viajante contou com a ajuda de uma família humilde e solidária, após sofrer outro acidente: “Eles não falavam uma palavra em inglês e eu
nenhuma em tailandês. Mas, nós nos comunicamos usando sinais”, lembra.

Outras lembranças vivas na memória de Beard aconteceram quando ela precisou utilizar seu capacete como burca durante a passagem pelo Irã pós-revolução de 1979, assim como quando atravessou a perigosa "rota da morte", na Iugoslávia.

Beard, que tinha deixado a Inglaterra como uma jovem forte e saudável, passou a pesar apenas 41kg na Turquia, já na rota de volta para casa. Além de muito magra, enfrentou enfermidades e teve de lidar com a distância da família por um longo tempo. De volta a Londres, sua cidade natal, Beard somou mais de 55 mil km percorridos em três anos de pura adrenalina, resistência e resiliência. E é, claro, recuperou a sua saúde e finalizou os estudos.

Atualmente, a aventureira possui uma BMW R 80 GS Basic modelo 1998 e já teve uma BMW R 1000 GS. A simplicidade dos motores destes modelos foi o que a fascinou, além do fato de ser possível consertá-los sozinha. De acordo com Beard, o motor Boxer não é complicado e, também, confiável, fazendo exatamente o que precisa fazer.

PIRELLI F1 – GP DA HUNGRIA: OS MESMOS PNEUS PARA A ÁUSTRIA EM UM CIRCUITO MUITO DIFERENTE


A temporada da Fórmula 1 de 2020 com início atrasado continua em Hungaroring com a terceira corrida seguida: algo incomum na F-1, visto uma vez em 2018. As seleções de pneus são as mesmas das duas corridas anteriores na Áustria: C2 como o P Zero branco duro, C3 como o P Zero amarelo médio e C4 como o P Zero vermelho macio.

Essa não é a única coisa que permanece a mesma: este ano, todos os pilotos terão as mesmas alocações: dois conjuntos de pneus duros, três conjuntos de médios e oito conjuntos de macios.

Os compostos C2, C3 e C4 também foram escolhidos na Hungria no ano passado, pois são adequados para as famosas características apertadas e tortuosas da pista, bem como para as altas temperaturas esperadas para este fim de semana.

Assim como o Red Bull Ring, o Hungaroring é uma volta curta de quatro quilômetros com várias mudanças na elevação. No entanto, é muito mais lento e fluido, colocando a ênfase na aderência mecânica em vez de aerodinâmica.

Com o desgaste dos pneus normalmente muito baixo, esta tem sido muitas vezes uma corrida de uma parada. No entanto, o vencedor do ano passado,
Lewis Hamilton, fez uma segunda parada no final da corrida, com cinco estratégias diferentes de pneus vistas entre os cinco primeiros. Gerenciar a degradação foi a chave para a corrida.

Uma das razões para a imprevisibilidade do ano passado foram as condições mistas nos treinos livres, mas normalmente a Hungria é uma das corridas mais quentes do ano. A falta de fluxo de ar devido à natureza da pista torna particularmente difícil para pilotos e carros.
Os pneus também enfrentam um desafio em Hungaroring, devido à sequência sem parar de 14 curvas, principalmente lentas, com apenas uma pequena reta na largada. Isso significa que os pneus estão funcionando constantemente: alguns pilotos até comparam com seu tempo no kart.

MÁRIO ISOLA, Gerente Mundial de Motorsport da Pirelli: "Pela primeira vez, o Hungaroring é a terceira corrida do ano. Com as mesmas indicações e alocações de pneus das duas primeiras corridas, em um local bem estabelecido no calendário da F-1, os pilotos devem ter uma boa ideia do que esperar. A corrida do ano passado quebrou um recorde de voltas que se manteve desde 2004, por isso será interessante ver se os tempos vão baixar ainda mais com os carros de 2020, que, claro, ainda usam nossos pneus de 2019. O Hungaroring é uma pista muito exigente tanto para carros quanto para pilotos, onde gerenciar o superaquecimento é sempre essencial, e por isso lançou algumas surpresas no passado. Vai ser interessante ver se o início da temporada tem algum efeito na ordem competitiva neste fim de semana, com algumas equipes trazendo novos desenvolvimentos também".

COPA TRUCK: DJALMA PIVETTA AGORA É PILOTO SHELL

Em sua primeira incursão nas populares corridas de caminhão disputadas no Brasil desde 1996, a Shell estampa a máquina #21, do piloto Djalma Pivetta. Natural de Laranjal Paulista (SP), o competidor da Usual Racing faz neste ano sua segunda temporada na Copa Truck.

Ele pilota um caminhão Iveco, preparado na sede da equipe em Laranjal Paulista. Embora recente em competições, a trajetória de Djalma com caminhões tem décadas de história: foi como caminhoneiro que ele iniciou sua vida profissional, despertando a paixão pelos “brutos” trabalhando nas estradas
brasileiras. Além de levar a concha Shell na coluna do caminhão e no macacão do piloto em 2020, o truck de Pivetta carrega as marcas Shell Evolux Diesel e Shell Rimula.

Com a entrada nas corridas de caminhão, a Shell amplia sua presença nas pistas. Em 2020, a marca patrocina quatro carros na Stock Car e outros dois na Porsche Cup -onde é também a fornecedora oficial de combustíveis. A marca também apoia o brasileiro Gianluca
Petecof na F3 Regional Europa, tem a equipe ONS Motorsport como sua representante no kartismo, é fornecedora oficial de combustíveis da Turismo Carretera na Argentina e patrocina o piloto Erick Goldner em automobilismo virtual.

Djalma Pivetta. “Fico muito honrado com a chegada da Shell. A marca está presente nos principais campeonatos do Brasil e do mundo, sempre associada com grandes histórias.

BMW do Brasil oferece condições diferenciadas para vendas corporativas, produtores rurais e pessoas com deficiência


A BMW do Brasil oferece neste mês de julho condições especiais na aquisição de qualquer veículo da marca para pessoas portadoras de deficiência. Por intermédio do programa BMW Preference, a redução de valor no período pode chegar até 19%, somados os descontos oferecidos pela marca à isenção de IPI (Imposto sobre produtos Industrializados).

Como exemplo do desconto especial para o período, o preço do BMW 118i para portadores de necessidades especiais seria R$ 159.950, ante os R$ 197.950 de tabela.

O BMW Preference oferece condições especiais para toda a gama de veículos BMW, sejam eles nacionais ou importados. A aquisição pode ser realizada em qualquer concessionário BMW no país com atendimento e assistência personalizados. 

Ao longo do mês de julho, os canais de venda para CNPJ e produtor rural oferecem até 16,7% de desconto em modelos como o BMW 118i e o BMW X1. Toda a gama da fabricante está contemplada nas condições especiais válidas até o final do mês.

Astro de Hollywood Michael Fassbender disputa com Porsche a European Le Mans Series


Michael Fassbender vai disputar este ano sua temporada de estreia na European Le Mans Series. O ator germano-irlandês vai pilotar um Porsche 911 RSR versão 2017 inscrito pela equipe cliente Proton Competition. Apoiado pela Porsche, Fassbender está dando o próximo passo em sua jornada pessoal "A Caminho de Le Mans" no campeonato de provas de resistência deste ano. "Mesmo antes de começar a atuar, eu já tinha um grande sonho: correr. Isso ficou claro para mim ainda bem jovem. Meu pai era um ávido piloto e me ensinou muita coisa", diz Fassbender, descrevendo sua paixão pelo automobilismo.


Fassbender deu seus primeiros passos para uma carreira de piloto participando da Porsche Driving Experience. O programa de nível inicial para entusiastas das corridas inclui sessões de treinamento com um Porsche 911 GT3 Cup de 485 hp. Após completar essa etapa, o piloto natural de Heidelberg avançou para a Porsche Racing Experience. Fassbender recebeu um completo apoio em serviços, adaptado especificamente
às suas necessidades, com três níveis e corridas consecutivas participando da Porsche Sports Cup.


A caminho da 24 Horas de Le Mans, o piloto de 42 anos completou no ano passado o Nível 2 do programa de treinamento da Porsche. Para isso, Fassbender disputou uma temporada completa da Porsche Sports Cup Deutschland guiando um Porsche 911 GT3 Cup. Os fãs podem acompanhar sua jornada na série do YouTube "Road to Le Mans" no link www.porsche.com/roadtolemans .

Fassbender divide o cockpit do Porsche 911 RSR nº 93 com o piloto de fábrica da Porsche Richard Lietz (Áustria) e Felipe Fernández Laser (Alemanha). 

A temporada de 2020 da European Le Mans Series é constituída de seis eventos, começando com um dia de testes em Le Castellet (França) em 15 de julho, seguido pela primeira
corrida, no mesmo autódromo, no dia 19 de julho. Em seguida virão Spa-Francorchamps (9 de agosto, na Bélgica), Barcelona (29 de agosto, na Espanha), Monza (11 de outubro, na Itália) e Portimão, (1º de novembro, em Portugal). Cada evento inclui uma corrida de quatro horas de duração. Fassbender compete pela equipe Proton Competition na classe LM GTE - a categoria GT do campeonato de longa distância.

segunda-feira, 13 de julho de 2020

STOCK CAR: Lucas Foresti renova patrocínio com a 3M


A 3M é uma das marcas apoiadoras do piloto Lucas Foresti durante a Stock Car 2020, considerada a principal categoria do automobilismo que reúne os melhores pilotos do Brasil. A novidade desta edição serão as quatro corridas virtuais, onde os pilotos, por simuladores, farão campeonatos menores utilizando os carros e os gráficos idênticos aos da competição presencial.

Pelo segundo ano consecutivo, o patrocínio das áreas de Materiais elétricos, Sistemas abrasivos, Adesivos e Fitas Industriais da 3M ao Lucas, acontece não só pela performance do jovem piloto, mas também pelo fato de ser adepto da inovação e tecnologia, características que fazem parte da cultura da empresa. "É com muito prazer e admiração que somos novamente um dos patrocinadores do Lucas Foresti. Nós acreditamos na alta performance do Lucas, e temos certeza de que essa parceria seguirá nos trazendo boa visibilidade para nossas marcas e produtos, perante um público estratégico para nós", afirma João Paulo Basso, Executivo de Desenvolvimento de Negócios da Divisão Automotiva da 3M Brasil.

Honda Automóveis retoma atividades produtivas


A Honda Automóveis do Brasil confirma a retomada gradual das atividades produtivas de suas unidades fabris em Sumaré e Itirapina, ambas no interior de São Paulo, a partir de hoje (13/07). Até então, a operação seguia restrita, exclusivamente com a fabricação de componentes de motores, para atendimento ao mercado de exportação.

As linhas de produção estão sendo reativadas gradualmente para adaptação aos novos protocolos de saúde e segurança, que foram estabelecidos tendo como referência as melhores práticas adotadas
globalmente pela marca. São diversos procedimentos em toda jornada do colaborador desde o momento em que sai de sua residência, no ônibus fretado e durante a jornada de trabalho.

Estão previstas avaliação de saúde com medição de temperatura no acesso à fábrica; horários diferenciados e intercalados para evitar aglomerações; reorganização de espaços, limitação do número de pessoas e adoção de critérios de distanciamento mínimo em locais como ônibus fretados, linhas de produção, refeitórios e salas de reunião; novos critérios de higienização, limpeza e sanitização bem como a adoção de máscaras em período integral.

Além disso, o treinamento e orientação às equipes será intensificado a fim de
conscientizar os colaboradores sobre cuidados e métodos de prevenção, bem como apoiar a adaptação aos novos procedimentos. O departamento de serviço médico está preparado para o acompanhamento e orientação durante todo o processo.

A Honda reforça que está, a cada momento, revisando as contramedidas em resposta aos desafios impostos pela pandemia da Covid-19, priorizando a segurança e saúde das pessoas, a conformidade às diretrizes governamentais e a sustentabilidade dos negócios.

Youse faz live com Sérgio Sette Câmara


Amanhã, terça-feira (14), às 10h30, a Youse, plataforma de venda de seguros online da Caixa Seguradora, realizará uma transmissão ao vivo pelo Instagram com o jovem piloto de automobilismo Sérgio Sette Câmara.

Serginho irá falar sobre sua carreira, retorno da F1 em meio à pandemia, e experiências em outras categorias que ele assina, como F2, Super Fórmula e Fórmula E, além de abordar a parceria com a Youse em 3 anos de patrocínio.

Serviço
Live com Sérgio Sette Câmara
Terça-feira, 14/07 às 10h30
@yousebrasil

LAND ROVER ANUNCIA NOVO DEFENDER NO BRASIL


Land Rover anuncia a abertura da pré-venda do ícone reimaginado para o século 21, o Novo Defender. O SUV com a maior capacidade off road do mundo chega ao Brasil em sua quinta geração, com lote inicial de 150 carros na
configuração 110, com opção de cinco ou sete lugares, propulsionada pelo motor P300 de quatro cilindros a gasolina com 300 cv, com preços partindo de R$ 400.750,00 (sem opcionais).

Os clientes interessados no Novo Defender poderão entrar em contato com a concessionária de preferência para realizar a reserva de sua unidade. Os critérios para a efetivação da reserva serão definidos por cada revenda. Clicando aqui é possível acessar a lista com contatos de todas as 40 concessionárias no Brasil.

Novo Defender chega ao país na configuração de quatro portas 110, com motor P300 a gasolina de 300 cv e 40,8 kgmf, em três versões: S, a partir de R$ 400.750,00; SE, a partir de R$ 426.750,00; e a topo de linha, HSE, por R$ 461.150,00 (preços sem opcionais).

Em todas as versões, a Land Rover oferecerá quatro pacotes de acessórios para o modelo, aumentando ainda
mais o engajamento e as funcionalidades do Defender. As combinações são as mais variadas, do Urban Pack, com funcionalidades para uso urbano do dia a dia, ao Explorer Pack, levando o ícone ao extremo, adicionando todos os elementos necessários para enfrentar qualquer terreno e situação com o Defender, sem perder o conforto.

O motor Ingenium 2.0l está combinado a uma transmissão ZF automática de oito velocidades que entrega força ao sistema 4x4, com diferencial central com travamento ativo, configuração perfeita para enfrentar todo tipo de terreno. O
conjunto foi produzido para proporcionar extrema força em situações de reboque ou fora de estrada.

A nova geração do SUV está sendo produzida na fábrica da Jaguar Land Rover em Nitra, na Eslováquia, onde o Discovery também é fabricado.

Mais forte do que nunca, a nova arquitetura D7x da Land Rover, projetada para situações extremas, foi feita de uma construção monobloco leve e forte de alumínio, e corresponde à carroceria mais resistente que a Land Rover já produziu. Ela é dez vezes mais rígida do que o Defender anterior, fornecendo bases perfeitas para suspensão totalmente independente.

LAND ROVER DEFENDER 100 EM AÇÃO COM JAMES BOND
O Defender 110 é equipado com sistema de suspensão a ar de série, novidade no modelo. Ele traz consigo o sistema Adaptive Dynamics, capaz de monitorar os movimentos do veículo 500 vezes por segundo, e fazer o modelo reagir quase instantaneamente às condições de piso e dirigibilidade, para proporcionar maior controle e conforto ao motorista.

Terrain Response 2 configurável é outra novidade do novo Defender e exclusividade da Land Rover. O sistema inteligente permite que motoristas experientes de off-road ajustem as configurações individuais para se adequarem
perfeitamente às condições, enquanto motoristas inexperientes podem deixar que o sistema detecte a configuração mais adequada para o terreno, usando a função automática.

A avançada tecnologia ClearSight Ground View ­– o capô transparente - ajuda o motorista a aproveitar a capacidade do Defender, revelando na tela central as áreas normalmente escondidas pelo capô logo à frente das rodas dianteiras. Também é possível ter uma visão traseira livre de obstáculos no interior do carro com o retrovisor interno ClearSight Rear View.

A Land Rover também introduz no novo Defender o sistema de infotenimento PIVI PRO, que pode ser acessado através de uma nova geração de touchscreen mais intuitiva e amigável. O sistema exige menos passos para executar tarefas frequentes, enquanto seu design atual garante respostas praticamente instantâneas. Já o sistema de navegação usa algoritmos de autoaprendizagem capazes de otimizar a rota, com mapas sempre atualizados graças à tecnologia SOTA.

Em combinação com o painel de instrumentos interativo de 12,3 polegadas, o sistema avançado fornece mapeamento 3D de alta definição dentro da instrumentação, deixando a tela sensível ao toque central livre para controlar outros aplicativos.

Em termos de tecnologia em assistência ao motorista inclui o Controle de Cruzeiro Adaptativo e o Monitor de Colisão Traseiro (de série na versão HSE), que alertam aproximações ao motorista ao piscar automaticamente luzes de perigo, bem como o Blind Spot Assist, o Rear Traffic Monitor e o Clear Exit Monitor (a partir da versão SE).

“Nós exploramos a impressionante capacidade e as características minimalistas
e funcionais do interior do Defender a fim de reinventar o ícone para o século 21. O Novo Defender nos dá licença para fazer as coisas de forma diferente, ir além dos limites e realizar o impensável, sem nunca perder o caráter e autenticidade do original. Desde o início nós trabalhamos obsessivamente com a funcionalidade através da conectividade. O resultado não é apenas o Land Rover mais capaz já criado, mas também um veículo confortável e moderno, que as pessoas vão amar dirigir”, comenta Nick Rogers, Diretor Executivo de Engenharia de Produto da Jaguar Land Rover Reino Unido.