terça-feira, 11 de dezembro de 2018

VOLARE INTENSIFICA VENDAS DO NOVO FLY 10 PARA FRETAMENTO


A Júlio Simões Logística - JSL S/A adquiriu seis novos miniônibus Volare Fly 10 Executivo.  Os veículos, equipados com Dispositivo de Transposição Acessível (DTA), com entrega programada para este mês, serão utilizados no atendimento de clientes nas cidades de Belo Horizonte, Minas Gerais, e Parauapebas, no Pará.

A JSL é uma das principais operadoras do segmento de fretamento industrial do Brasil, já possuía em sua frota, desde o início de 2017, quatro unidades do Fly 10 e optou por uma nova aquisição do modelo em razão de ser o produto com a maior capacidade do mercado para transportar passageiros e proporcionar, como diferenciais, mais espaço interno, design moderno, funcionalidade e versatilidade. Com capacidade para 36 passageiros, oferece manobrabilidade e baixo consumo de combustível comparável a um veículo menor.

O Fly 10 desenvolvido para a JSL conta com total acessibilidade, em função do Dispositivo DTA, que permite o embarque/desembarque dos portadores de necessidades especiais pela mesma porta de serviço. Equipado com motorização Cummins ISF 3.8, de 162 cv de potência, sistema de freio eletropneumático e ar-condicionado instalado no teto, conta com bagageiro traseiro com 4.000 litros de capacidade, e maior vão de acesso.

TAG Heuer anuncia renovação de parceria com Red Bull Racing


Stéphane Bianchi, CEO da TAG Heuer e presidente da divisão de relógios da LVMH, junto com Christian Horner, diretor do time do Red Bull Racing, tem orgulho em anunciar a renovação de mais três anos da união entre a equipe de corrida e a TAG Heuer, que é a cronometrista oficial, relojoeira e parceira de performance do time.

"Ninguém melhor do que a Aston Martin Red Bull Racing - com sua equipe jovem e animada, sua abordagem nada convencional à Fórmula 1 e suas incríveis experiências e registros nos circuitos - para ilustrar melhor nosso lema #DontCrackUnderPressure", disse Stéphane Bianchi. "Era evidente que a incrível ligação entre a TAG Heuer e a Fórmula 1 tinha que continuar através dessa parceria"

A TAG Heuer tem uma ligação profunda com o Campeonato Mundial de Fórmula 1, desde sua criação em 1950, ao fornecer cronômetros mecânicos para várias equipes -projetados para medir o tempo a 1/10 de segundo. A marca se associou e apoiou algumas das principais equipes de F1, os maiores pilotos e os circuitos mais lendários. A TAG Heuer foi a cronometrista oficial da equipe Scuderia Ferrari de 1971 à 1979, enquanto o lendário piloto Ayrton Senna foi nomeado o primeiro embaixador da campanha "Don't Crack Under Pressure".

Em 2015, a TAG Heuer uniu forças com a Red Bull Racing em uma parceria única, dentro e fora das pistas. A ligação da Red Bull Racing com o esporte e com o mundo do entretenimento encaixou perfeitamente com o espírito inovador e disruptivo da TAG Heuer.  alguns dos novos talentos mais promissores da F-1.

Não há dúvidas de que a temporada de 2019 será ansiosamente aguardada: com um novo motor, a renovação do contrato de Max Verstappen e a chegada de Pierre Gasly no time. A TAG Heuer expressa a sua gratidão a Daniel Ricciardo por seu enorme comprometimento ao time nos últimos 3 anos, enquanto membro da equipe.

PANASONIC JAGUAR RACING CHEGA RENOVADA PARA SUA 3ª TEMPORADA NA FÓRMULA E


A Panasonic Jaguar Racing retornará para sua terceira temporada no Campeonato ABB FIA de Fórmula E em 15 de dezembro, no primeiro Ad Diriyah E-Prix, na Arábia Saudita. A corrida em Riade é um dos três novos locais do calendário da Fórmula E e dá início a uma temporada de estreias para a Panasonic Jaguar Racing, que competirá com um novo carro e inaugurará um novo campeonato de apoio, também lançados no Oriente Médio.

Os pilotos da Panasonic Jaguar Racing, Nelson Piquet Jr. e Mitch Evans, retornarão para competir no novo e mais rápido Jaguar I-TYPE 3, assumindo o novo circuito de rua de 2.495km, enquanto tentam chegar ao pódio. Nesta temporada, cada E-Prix é uma corrida cronometrada, com duração de 45 minutos mais uma volta - tornando as estratégias do time mais difíceis e as corridas imprevisíveis.

Nesta temporada, a Panasonic Jaguar Racing desenvolveu e construiu um novo powertrain inteiramente em casa. Mais eficiente e com peso comparável ao I-TYPE 2, ele é 25% mais potente e produz até 250KwH (335PS). A moderna unidade geradora de força motriz excede 30 mil rpm, mais do que o dobro de um carro F1 de 2018. O novo Jaguar I-TYPE 3 tem mais de 800 novas peças em comparação com o carro de corrida da última temporada, mostrando o desenvolvimento da tecnologia de veículos elétricos.

James Barclay, diretor da equipe Jaguar Racing da Panasonic, disse: “Mal podemos esperar para voltar às corridas e começar a nossa terceira temporada no Campeonato ABB FIA de Fórmula E. Levamos em consideração os aprendizados de nossas duas primeiras temporadas para garantir que o nosso powertrain seja o mais competitivo possível, colocando-nos em um ótimo lugar para o E-Prix de abertura. "Fizemos nossa temporada mais bem-sucedida até hoje em 2017-18, e com a volta de Nelson e Mitch, estou otimista de que temos o time certo e os carros certos para garantir pontos e lutar por pódios em todas as corridas."

Nelson Piquet Jr., piloto da Panasonic Jaguar Racing #3, disse: “Estou determinado em aproveitar o progresso da equipe na última temporada e realmente lutar por pontos e pódios em cada corrida. Mitch e eu temos trabalhado duro neste período entre temporadas para nos familiarizarmos com o Jaguar I-TYPE 3. Estamos ambos prontos para correr e não podemos esperar para começar a temporada.

Mitch Evans, piloto da Panasonic Jaguar Racing, # 3 disse: "A competição na Fórmula E continua crescendo a cada temporada, mas o trabalho que a equipe dedicou e os avanços realizados no carro vai nos colocar em uma boa posição para ser uma equipe de frente nesta temporada. “Fiz o meu primeiro pódio em Hong Kong no ano passado e quero repeti-lo de forma consistente. Com o novo carro, acredito que é possível e vou correr para vencer - é isso que me faz levantar pela manhã.

Além de reforçar a missão da Jaguar de "Race to Innovate", Ad Diriyah também será palco da corrida inaugural do campeonato de apoio Jaguar I-PACE eTROPHY, a primeira série internacional do mundo para carros elétricos de produção. A nova série mostra a ligação entre o envolvimento da Jaguar na Fórmula E, o desenvolvimento dos carros de estrada da Jaguar e o futuro da eletrificação.

Doze carros de corrida Jaguar I-PACE eTROPHY se alinharão no grid da série oficial de apoio ao Campeonato ABB FIA de Fórmula E.

O Campeonato ABB FIA de Fórmula E de 2018-19 será composto por 13 corridas em 12 das mais emblemáticas cidades do mundo, enquanto o Jaguar I-PACE eTROPHY acontecerá no mesmo dia em 10 das 13 etapas – incluindo os pilotos Cacá Bueno e Sérgio Jimenez, na equipe brasileira Jaguar Brazil Racing.

O Fanboost abre na segunda-feira, 10 de dezembro, e se encerra 10 minutos antes da corrida. Nesta temporada, os cinco primeiros pilotos poderão usar o seu Fanboost nos últimos 25 minutos de cada corrida. Vote no seu piloto favorito da Panasonic Jaguar Racing para dar um impulso extra na pista de corrida em Riade. Tweet seu impulso usando #MitchEvans ou #NelsonPiquetJr e #FanBoost, ou visite: http://fanboost.fiaformulae.com/

Tarcísio Dias em Mecânica Online

Em 50 anos carros autônomos serão comuns
Que sorte a nossa não é verdade? Temos a oportunidade de dirigir, de acelerar um veículo, pois no futuro próximo parece que dirigir não vai ser muito comum não. Um novo estudo da Intel revela que, apesar dos receios e inseguranças, consumidores não veem a hora de ter um carro autônomo.

A pesquisa realizada com consumidores norte-americanos revela que apenas 21% dos entrevistados trocariam seus carros por um modelo autônomo hoje, apesar de 63% deles acreditarem que esse tipo de veículo será padrão daqui a 50 anos. Essa já foi uma visão de futuro compartilhada pela Intel anteriormente em que a empresa prevê um mercado de 7 trilhões de dólares.

"Ainda precisamos preencher a lacuna entre a aceitação atual pelas pessoas dos recursos de condução automatizada e a autonomia total. Atualmente, os passageiros precisam confiar cegamente nos critérios de segurança dos fabricantes. É importante que haja uma união entre a indústria e as decisões políticas em prol de um modelo de segurança transparente, que reforce a confiança entre homem e máquina", afirma Jack Weast, engenheiro sênior da Intel e vice-presidente da AV Standards na Mobileye.

O estudo Passenger Economy publicado pela Intel em 2017 aponta que os veículos autônomos terão potencial para salvar 585.000 vidas entre 2035 e
2045. Mas o novo estudo mostra que os consumidores ainda têm sentimentos conflitantes em relação a essa promessa.

Quase metade dos consumidores entrevistados (43%) não se sente segura em relação aos veículos autônomos (AV) - sendo que as mulheres têm mais receios do que os homens.

Ao mesmo tempo, mais da metade dos consumidores não vê a hora de não precisar mais dirigir e espera daqui a 50 anos poder usar o tempo gasto dentro do carro com entretenimento ou trabalho.

Quando perguntadas sobre o que esperam fazer dentro de um veículo autônomo dentro de 50 anos, as pessoas mostram empolgação por uma gama de atividades de trabalho, descanso e diversão:
  • Entretenimento (58%)
  • Socialização (57%)
  • Trabalho (56%)
  • Reuniões (33%)
  • Cuidar da aparência (26%)
  • Atividade física (14%)
O Departamento de Transportes dos Estados Unidos acredita que os veículos autônomos possam reduzir as mortes no trânsito em 94% ao eliminar os acidentes por falha humana.

Para ter sucesso será necessário ligar os pontos entre as tecnologias de assistência à condução automatizada de hoje e a autonomia total do futuro. A Intel acredita em uma abordagem de duas vias:

Ampliar disponibilidade, informações e aceitação dos sistemas avançados de assistência ao condutor (ADAS). Sem os aprendizados obtidos de usuários de ADAS em escala, é impossível esperar que as pessoas simplesmente saltem no abismo tecnológico e aceitem a autonomia total.

Criar um padrão de segurança universalmente aceitável e compreensível. Como ponto de partida, a Intel oferece seu modelo de Segurança Sensível à Responsabilidade.

O padrão proposto traduz o que significa ser um condutor seguro para uma equação matemática totalmente transparente e explicável. A Intel está convidando outros participantes do setor a se alinharem a esse tipo de padrão.

O recém-anunciado Instituto de Mobilidade Avançada no Arizona tem como objetivo resolver as implicações de responsabilidade, regulamentação e segurança de veículos automatizados e trabalhará para desenvolver padrões e melhores práticas a serem seguidos pela indústria.

A condução automatizada oferece muito mais do que benefícios sociais significativos (incluindo salvar vidas), como novas experiências para os passageiros. A mobilidade deixará de ser a única função dos carros, que terão potencial para se tornarem módulos de transporte experiencial.

O estudo Passenger Economy de 2017 foi encomendado pela Intel e conduzido pela Strategy Analytics.

PERFIL
Tarcisio Dias – Profissional e Técnico em Mecânica, além de Engenheiro Mecatrônico e Radialista, é gerente de conteúdo do Portal Mecânica Online® (www.mecanicaonline.com.br) e desenvolve a Coleção AutoMecânica.

Gerente de conteúdo do Mecânica Online®, Tarcisio Dias é responsável também pela área de cursos e CDs interativos. Possui formação em engenharia Mecânica com habilitação em Mecatrônica pela Universidade de Pernambuco, formação técnica em mecânica pela Escola Técnica Federal de Pernambuco (CEFET/PE) e profissional em Mecânica Automotiva de Motores Diesel no Centro de Formação Profissional de Jaboatão dos Guararapes – RFFSA acordo SENAI. Também possui formação como Radialista – Locutor/entrevistador.

Com mais de 70 inscritos, Porsche Club Brasil encerra temporada 2018 no Velo Città


Mais de 70 pilotos inscritos, muito equilíbrio, presença de novos modelos e de carros clássicos e de superesportivos. O 21º Porsche Racing Festival, realizado nos dias 30 de novembro e 1º de dezembro no Autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu (SP), encerrou em alto estilo a temporada 2018 do Porsche Club Brasil.

Pela primeira vez, um evento do Porsche Club Brasil
teve a presença de modelos como os novos 911 GT2 RS e o 911 GT3 RS, recém-chegados ao País e inscritos por seus proprietários para disputar a Flying Lap, na qual cada concorrente tem direito a três tentativas por dia para estabelecer o melhor tempo de volta na sua categoria. 

No 21º Porsche Racing Festival, a Flying Lap foi utilizada para apurar os
resultados de outras duas competições: o Superprix, definido pela melhor sequência de três voltas de cada piloto (uma em cada dia), e a Precisão, em que o objetivo determinado era conseguir a menor diferença possível de tempo entre as duas melhores voltas de cada piloto, independente do dia em que foram marcadas.


No final do segundo dia, todos os Porsches presentes, inclusive os que não estavam inscritos para as atividades de pista, puderam participar da Porsche Parade, dando duas voltas pelo traçado em velocidade moderada (determinada por um carro-madrinha), com familiares e amigos a bordo.  


No lounge montado pelo Porsche Club Brasil na área de box, destacavam-se as presenças dos novos Cayenne e Macan, apresentados à imprensa no segundo semestre, e de um Panamera Turbo S E-Hybrid. 

Os participantes e convidados também tiveram a chance de apreciar um clássico 911 Carrera Cabriolet de 1996 e dois superesportivos que fizeram história na Porsche: um Carrera GT, produzido entre 2003 e 2006, e o 918 Spyder, fabricado de 2013 a 2015. Produzidos em série limitada, são raros em todo o mundo e ainda mais no Brasil, para onde foram importados oficialmente quatro Carrera GT e três 918 Spyder. No lounge do terraço dos boxes, foram montados restaurante, mini spa e espaço infantil.

Campo de Provas Mercedes-Benz é premiado em competição mundial da Daimler Trucks


O Campo de Provas da Mercedes-Benz do Brasil, inaugurado em maio de 2018, conquistou o 1º lugar em uma das categorias da premiação Global CI Cup (Campeonato Mundial de Melhoria Contínua), promovida pela Divisão de caminhões e ônibus do Grupo Daimler. A competição premia os melhores projetos voltados para a melhoria contínua de processos e produtos, que por consequência trazem benefícios para os clientes.

Todas as marcas da Daimler Trucks no mundo participaram da competição e, nesta edição, mais de 15 mil colaboradores em 34 países escolheram os melhores projetos, sendo a Mercedes-Benz do Brasil a unidade que mais conquistou prêmios nesta edição. “Dos 18 troféus entregues na Alemanha, nós conquistamos 9. Com isso, o time brasileiro se destaca na inovação dentro do âmbito global da Daimler Trucks, e se diferencia na maneira como desenvolve seus projetos”, afirma Marcus Kliewer, diretor de Desenvolvimento de Caminhões da Mercedes-Benz do Brasil.

Para alcançar o primeiro lugar na categoria “Cadeia de Valor”, a equipe do Campo de Provas preparou o case: “Da fazenda de cana-de-açúcar ao eficiente Campo de Provas”, apresentando todos os benefícios trazidos com esse novo empreendimento, que transformou uma plantação de cana-de-açúcar no maior Campo de Provas do Hemisfério Sul.

Os demais prêmios conquistados pelo Brasil variam entre desenvolvimento de novos produtos e componentes, chegando até a mudança da cultura empresarial, como o projeto Lean Mindset, vencedor na categoria “Cultura Lean”. Esse case visa processos internos mais sustentáveis e, ao mesmo tempo, qualifica pessoas para tornar possível essa transformação. “Conquistar esse prêmio reforça a importância de se investir numa mudança significativa de processos, que beneficiaram desde a linha de produção até as rotinas administrativas. Sem dúvidas, um importante reconhecimento para nossos colaboradores do Brasil”, afirma Carlos Santiago, vice-presidente de Operações da Mercedes-Benz do Brasil.

Localizado em Iracemápolis, o Campo de Provas da Mercedes-Benz do Brasil foi construído no mesmo conceito das pistas de teste da Daimler em Wörth, na Alemanha, um dos mais modernos do segmento de caminhões e ônibus da Companhia e também do setor em todo o mundo. Com isso, podem ser realizados, aqui no Brasil, testes com o mesmo rigor e padrão técnico e métrico seguidos por outras unidades do Grupo.

O empreendimento conta com 16 pistas de testes, numa extensão total de 12 km. Essa unidade é um laboratório que simula, em condições reais, as características de robustez e durabilidade dos veículos que estarão em breve nas ruas e estradas do País.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

HI-ROAD O NOVO CAMINHÃO DA IVECO


O mercado brasileiro de caminhões mantém o viés de alta, e deve fechar 2018 com 85 mil unidades vendidas. O segmento que mais se destaca é o de Pesados, que atende setores como a agricultura, um dos pilares da economia do Brasil. É para esse mercado que a IVECO, marca da CNH Industrial, um dos principais grupos do setor de bens de capital do mundo, lança no Brasil o Hi-Road. “Esse caminhão é o modelo adequado para o atual momento econômico, que pede um produto com baixo custo de operação, conforto para o motorista e a robustez que o segmento exige”, destaca Ricardo Barion, diretor de Marketing e Vendas da IVECO para a América Latina. 

O lançamento do Hi-Road, que será disponibilizado nas versões 4X2, 6X2 e 6X4, tem como objetivo aumentar a participação da marca no segmento de entrada na categoria de pesados, proporcionando para o cliente o melhor Custo Operacional Total do mercado. “O caminhão foi projetado para estar disponível o maior tempo possível na operação do cliente. Isso se traduz em eficiência para a empresa”, afirma Barion. 

O Hi-Road, ideal para operações de médias e longas distâncias, herdou as melhorias que a engenharia da IVECO promoveu recentemente na linha Hi-Way, que se destaca pelo baixo custo operacional, com uma nova turbina, nova calibração e aumento de torque no motor. Destaque também para o menor peso de tara do segmento, que contribui para a redução de custos com combustível. 
“O segmento de pesados no Brasil representa 37% do mercado total de caminhões. O Hi-Road promove flexibilidade nas aplicações com diversas opções de tração, além de potências variadas e dois entre-eixos”, ressalta Barion. 

A cabine é totalmente nova e a mais leve do mercado, o que potencializa o uso do caminhão proporcionando aumento da capacidade de transporte e diminuição no consumo de diesel. Destaque para o teto alto de série, para-sol, defletor de ar lateral com maior aerodinâmica e defletor inferior. Se por fora o modelo chama atenção, a comodidade e a ergonomia interna são garantidas por itens de série, como trio elétrico (vidro e trava elétrica, além do retrovisor aquecido e elétrico), banco High Comfort, ar-condicionado e climatizador, rádio com CD, MP3 e entrada USB, volante com comandos integrados, box térmico e
cabine com suspensão pneumática - com quatro bolsas. 

Os motores que impulsionam o Hi-Road são o Cursor 9 e 13, da FPT Industrial, com seis cilindros em linha. O Cursor 9 tem potência de 360 cv (4X2), e o Cursor 13 tem duas faixas de potência, 400 cv (4X2 e 6X2) e 440 cv (4X2, 6X2 e 6X4), com torque máximo de 2.250 Nm. A transmissão é automatizada de 16 velocidades à frente + duas marchas à ré, e o tanque de combustível tem capacidade, de série, para 900 litros. 

HondaJet Elite recebe Certificado de Tipo no Japão


A Honda Aircraft Company, subsidiária da Honda para negócios em aviação, recebeu do Departamento Civil de Aviação do Japão (JCAB), ligado ao Ministério da Terra, Infraestrutura, Transporte e Turismo, o Certificado de Tipo para o HondaJet Elite. A conquista demonstra a conformidade da aeronave com os padrões exigidos pelo órgão, incluindo critérios de resistência, desempenho, segurança, função e confiabilidade.

Em junho de 2018, a Honda Aircraft Company iniciou as vendas do HondaJet Elite no Japão por meio de seu representante comercial local. Desde a expansão da comercialização do jato executivo para o país, já foram registrados
mais de 10 pedidos da aeronave. As entregas têm previsão de início ainda em 2018.

"Estou profundamente grato aos membros do Departamento Civil de Aviação do Japão pela imensa cooperação com a Honda. Criar produtos que possibilitam às pessoas desfrutarem a liberdade da mobilidade nos céus tem sido o sonho da empresa desde sua fundação. Estamos felizes que o HondaJet obteve a certificação de tipo no Japão, país sede da marca. Este é um exemplo de como incorporamos nossa paixão em servir as pessoas ao redor do mundo com a alegria de expandir o potencial de suas vidas. A Honda continuará se desafiando para expandir o potencial de vida de seus clientes", afirma Takahiro Hachigo, Presidente da Honda Motor Co., Ltd.

"Estamos orgulhosos por obter a Certificação de Tipo no Japão e satisfeitos pelo reconhecimento aos nossos esforços no desenvolvimento de tecnologias avançadas. Estou certo que o recém certificado HondaJet Elite oferecerá uma mobilidade eficiente e confortável por todo o Japão", complementa Michimasa Fujino, Presidente e CEO da Honda Aircraft.

No Brasil, a Honda Aircraft nomeou a Líder Aviação como representante exclusiva de vendas, serviços e suporte para os clientes do Brasil. Com 21 bases em todo o Brasil, a Líder atua em cinco unidades de negócio e oferece soluções completas em aviação executiva.

Final do Campeonato Mundial de Kart destaca tecnologia dos motores Rotax


Além de disputas emocionantes e grid repleto de feras, o Rotax Max Challenge Grand Finals, grande final do Campeonato Mundial de Kart, teve como destaque a categoria exclusiva para veículos com motores elétricos. 

A classe reuniu os karts elétricos Rotax THUNDeR, impulsionados pelos motores Rotax desenvolvidos pela BRP com a mais inovadora tecnologia do segmento. O evento aconteceu no Circuito Internacional Paladino, em Conde, na Paraíba

Para alegria da torcida local, o vencedor da categoria Kart Elétrico foi o paraibano Sérgio Crispim. Vale ressaltar que o Rotax Max Challenge Grand Finals conta com a chancela da Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

“A disputa do Rotax Max Challenge Grand Finals foi a oportunidade perfeita para apresentar o Rotax THUNDeR, com a mais nova tecnologia, ao mundo do Kart”, disse Peter Oelsinger, vice-presidente de Sistemas de Propulsão e Finanças da Rotax.

Os motores elétricos são tendência para um futuro ecologicamente sustentável, e na Rotax a tecnologia já é uma realidade. Os karts elétricos Rotax THUNDeR chegam a 100 km/h em 3,5 segundos e têm velocidade máxima de 130 km/h. Os motores levam bateria de íons de lítio e têm capacidade de 2,5 kWh, performance de 20 kW e torque máximo de 46 Nm.

Nissan confirma produção em série do GT-R50 by Italdesign


A Nissan confirmou a produção em série do Nissan GT-R50 By Italdesign, abrindo oficialmente os pedidos para a edição limitada de apenas 50 unidades da mais nova expressão do ícone Nissan GT-R.

O design do modelo é praticamente o mesmo exibido pelo protótipo, que foi visto pela primeira vez em julho, durante o Festival de Velocidade de Goodwood, na Inglaterra. Tunado pela NISMO para entregar 720 cavalos, o Nissan GT-R by Italdesign será comercializado a partir de 990 mil euros, sem impostos e opcionais.

Para desenvolver o modelo, a Nissan fez uma parceria com o Italdesign, famoso estúdio italiano sediado na cidade de Turim, baseando-se na última geração do Nissan GT-R NISMO. O objetivo era comemorar os 50 anos do GT-R, em 2019, e da Italdesign, em 2018. O protótipo foi criado com a cor de carroceria cinza e detalhes em dourado, mas os clientes terão a chance de especificar as combinações de cores de sua preferência ao encomendar o modelo de produção limitada. Os clientes também poderão escolher os pacotes e cores internas.

Além do Festival de Velocidade de Goodwood, o protótipo do Nissan GT-R50 também apareceu no circuito de Spa-Francorchamps, na Bélgica, no evento
anual Rolex Monterrey Motorsports Reunion, nos EUA, e na Nissan Crossing, a galeria da marca localizada no badalado distrito de Ginza, em Tóquio. A partir de 7 de dezembro, o modelo estará em exposição na Nissan Gallery, localizada na sede da marca em Yokohama, no Japão.

Os clientes que desejarem adquirir um GT-R50 podem visitar o site www.GT-R50.nissan e contatar o Italdesign para criar seu próprio carro. As entregas começarão em 2019, devendo se estender até 2020.

Actros e Axor participam com 23% das vendas de extrapesados no Brasil


Mercedes-Benz emplacou 7.744 caminhões extrapesados das linhas Actros e Axor no Brasil em 2018, considerando o volume acumulado entre os meses de janeiro a novembro. São 4.094 unidades do Actros (216% de crescimento nas vendas em relação ao mesmo período do ano passado) e 3.650 unidades do Axor (73% a mais).

“Juntos, o Actros e o Axor correspondem por 23% das vendas totais de extrapesados no Brasil em 2018, levando em conta todas as marcas”, diz
Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas e Marketing Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. “Esse volume de emplacamentos também representa 43% das vendas de todos os caminhões da nossa marca no País, dos leves aos extrapesados, que chegou a 17.966 unidades até novembro”.

De acordo com o executivo, as vendas de extrapesados estão sendo puxadas pelas renovações de frotas nos setores do agronegócio, como transporte de grãos e de cana-de-açúcar, além da logística, transporte de combustíveis, mineração e varejo.

A Mercedes-Benz lidera as vendas de caminhões no Brasil este ano. No acumulado de janeiro a novembro, foram emplacadas 17.966 unidades, com a marca chegando a 27,8% de market share. O volume de vendas de 2018, até novembro, é 51% superior ao mesmo período de 2017, quando foram emplacados 11.883 caminhões Mercedes-Benz no País.

Além do agronegócio, logística, transporte de combustíveis, mineração e varejo, outras atividades vêm impulsionando as vendas de caminhões no ano, como
transporte de bebidas e produtos frigorificados, principalmente nos segmentos de leves e médios.

Nesse contexto, em 2018, grandes empresas do transporte de cargas renovaram suas frotas com caminhões Mercedes-Benz. Entre elas: Ambev (228 Actros e Atego para distribuição de bebidas), Transpanorama (222 caminhões Axor e Atego para prestação de serviços ao Correios), Ouro Verde (140 Axor para produção de cana-de-açúcar e etanol) e Braspress (57 caminhões Mercedes-Benz, sendo 7 Axor 2041; 40 Axor 1933 e 10 Atego 1419), além de 250 caminhões para o segmento cegonheiro (200 Axor e 50 Actros).

Nova família Delivery estreia na Colômbia


A nova família Volkswagen Delivery estreia na Colômbia com razões para se comemorar: com vendas antecipadas e pedidos fechados antes mesmo da apresentação oficial, realizada nesta quarta-feira (5), o modelo Delivery 11.180 é o líder em embarques de caminhões VW àquele país, o que impulsiona o sucesso internacional da linha. Os modelos já estão presentes em dez países e respondem por cerca de 30% das exportações de caminhões VW no acumulado deste ano.

A Porsche Colômbia, representante da VW Caminhões e Ônibus naquele país, realizou o lançamento em Bogotá. E além do 11.180, destaque antes mesmo da chegada às revendas, mostrou aos clientes colombianos e à imprensa local o Delivery 9.170, que também passa a estar disponível para vendas por lá.

“Os clientes colombianos já conhecem a robustez e a confiança dos produtos VW. E características dos novos Delivery, tais como design, espaço interno, ergonomia e motorização, têm sido muito bem recebidas e elogiadas naquele mercado. Com o lançamento do modelo 11.180, entramos num segmento em que ainda não participávamos e que atende sob medida às demandas da operação. Tudo isso favoreceu o excelente ingresso dessa novidade por lá, apresentada em conjunto com a Porsche Colômbia”, afirma Roberto Cortes, presidente e CEO da VW Caminhões e Ônibus.


O segmento de caminhões leves é um dos mais representativos da América Latina. E não à toa a nova linha de caminhões VW Delivery é sucesso no Brasil e novos lançamentos vão acontecer durante os próximos 12 meses, abrangendo todos os mercados externos da VW Caminhões e Ônibus.


A nova família Delivery chega para revolucionar o transporte de cargas no segmento de caminhões leves. Desenvolvido e produzido na América Latina, o lançamento já atende a padrões internacionais para os mercados mais exigentes. Composta por modelos de 3,5 a 13 toneladas, está pronta para conquistar o mundo: nasceu a partir da receita de sucesso da primeira linha Delivery e da experiência dos clientes das mais de 100 mil unidades produzidas. Foi ouvindo o cliente que a Volkswagen Caminhões e Ônibus estreia uma gama de produtos sob medida para os dias de hoje.

JAGUAR I-PACE CONQUISTA CINCO ESTRELAS NOS TESTES DE SEGURANÇA DA EURO NCAP


O 100% elétrico Jaguar I-PACE alcançou uma classificação de 5 estrelas nos testes de segurança da Euro NCAP, confirmando-o como um dos veículos mais seguros na estrada. O primeiro SUV elétrico de rendimento da Jaguar marcou 91% para proteção de ocupante adulto, 81% para proteção de ocupante infantil e 81% para assistência de segurança. Para os testes de impacto da barreira lateral e impacto da coluna lateral mais severa, o I-PACE obteve pontuação máxima, com boa proteção de todas as áreas críticas da carroceria.

Este último resultado significa que todos os três membros da família PACE, de SUVs da Jaguar, E-PACE, F-PACE e I-PACE têm a classificação máxima de cinco estrelas da Euro NCAP, demonstrando o compromisso da marca em projetar alguns dos carros familiares mais seguros. O I-PACE é o décimo modelo consecutivo da maior fabricante de veículos da Grã-Bretanha a receber as cinco estrelas.

A estrutura de carroceria leve de alumínio do I-PACE oferece níveis inerentemente altos de rigidez e, quando combinada com a bateria integrada – protegida por um quadro estrutural de alumínio – oferece a mais alta rigidez torcional de qualquer Jaguar, a 36kNm por grau.

Os destaques do design da carroceria incluem o primeiro uso industrial de peças
de alumínio forjado e as primeiras aplicações da Jaguar de tratamento térmico pós-moldagem para aumentar a resistência das ligas de alumínio usadas em áreas críticas relacionadas a acidentes.

Além das tecnologias de segurança, o SUV de rendimento oferece um conjunto completo de sistemas avançados de assistência ao condutor, como Controle de Velocidade Cruzeiro Adaptativo (Adaptive Cruise Control) com assistente de direção; Assistente de Ponto Cego (Blind Spot Assist); e Auxílio de Estacionamento 360º (360º Parking Aid).

domingo, 9 de dezembro de 2018

Daniel Serra é bicampeão da Stock Car; Ricardo Zonta vence corrida final em Interlagos


O Autódromo de Interlagos recebeu a Stock Car de casa cheia na manhã deste domingo (9) em São Paulo para a Hero Super Final, corrida que decidiu o título da temporada 2018. Sob sol e calor, os 40 minutos da disputa foram agitados e tensos para os postulantes ao título Daniel Serra, que largou em terceiro, e Felipe Fraga, que saiu do 18º lugar. Na bandeira quadriculada, a vitória ficou com Ricardo Zonta, enquanto Serra cruzou a linha de chegada em quarto lugar – uma posição à frente de Fraga – para selar a conquista do bicampeonato da principal categoria do automobilismo brasileiro.

“Foi muito tenso, porque você nunca sabe o que pode acontecer. Tem coisa que a gente não controla. Nos preparamos da maneira mais minuciosa possível, com um carro bem conservador para chegar no final”, lembrou Serra. “Então fui sofrendo um pouco com o desgaste de pneu, mas a gente fica nervoso: durante a corrida eu achei que o pneu furou umas seis vezes, de tão tenso que a gente fica. Muito nervosismo, mas sempre controlamos sabendo onde o Felipe (Fraga) estava, controlando o uso dos botões de ultrapassagem, mas estou muito feliz”, disse. 

As luzes vermelhas se apagaram e Ricardo Zonta manteve a ponta na largada seguido de Julio Campos, Cacá Bueno e Gabriel Casagrande, que pularam à frente de Daniel Serra, o terceiro no grid. Felipe Fraga, saindo de 18º, ganhou duas posições nos dois giros iniciais e continuava a escalada. Julio Campos tomou a ponta de Zonta na abertura da terceira volta, enquanto Casagrande colocava pressão sobre Cacá.

Em quinto, Serra mantinha o controle da situação apesar da pressão de Antonio Pizzonia. Zonta usou o botão de ultrapassagem para retomar a liderança na volta 4, e a dupla de líderes ia abrindo distância em relação ao restante do pelotão. Volta 5, e Campos continua com o rodízio de líderes ao reassumir a ponta.Cacá começou a perder posições depois de levar um toque: a carenagem do carro começou a interferir no pneu traseiro esquerdo, e abandonou a corrida logo em seguida. Casagrande assumia o terceiro lugar trazendo Daniel Serra consigo – justamente na posição que lhe garante o título mesmo que Fraga vencesse (era o 14º no momento).

Na volta 10 começaram os pit stops. Entre os líderes, Julio Campos, Daniel Serra e Ricardo Maurício foram aos boxes. Ricardo Zonta parou no giro seguinte. Rubens Barrichello, ainda sem parar, aparecia na liderança depois de ter largado em 23º; Átila Abreu optou por estratégia semelhante ao fazer seu pit stop nas voltas finais da janela obrigatória e também chegou a liderar a prova.

A ordem se restabeleceu depois que todos os pilotos realizaram suas paradas para abastecimento e troca de pneus, com Ricardo Zonta em primeiro, Julio Campos em segundo e Gabriel Casagrande em terceiro. Ricardo Maurício, Daniel Serra, Antonio Pizzonia, Gaetano di Mauro, Marcos Gomes, Lucas di Grassi e Felipe Fraga fechavam os dez primeiros.

A tensão entre os postulantes ao título foi aumentando no final da corrida. Lucas di Grassi tomou o quinto lugar de Serra, e o líder do campeonato tinha atrás de si Marcos Gomes e Felipe Fraga, pilotos da Cimed Racing. Fraga usou do jogo de equipe para passar Gomes, campeão de 2015, e ficar em sétimo exatamente atrás de Serra.

Na última volta, Serra voltou a passar di Grassi, e Fraga embarcou na mesma tentativa, tirando o piloto da Hero Motorsport da corrida na curva do Laranjinha. 

Na bandeirada, Ricardo Zonta conquistou sua primeira vitória na temporada e formou um pódio 100% paranaense tendo Julio Campos em segundo e Gabriel Casagrande em terceiro. Agora bicampeão, Daniel Serra cruzou a linha de chegada como bicampeão em quarto lugar, seguido de Felipe Fraga e Rubens Barrichello fechando os cinco primeiros. 

Na reta dos boxes, após a prova, foi montada a recepção para o campeão de 2018 da Stock Car. Daniel Serra subiu no carro, cercado por membros da equipe Eurofarma RC e da torcida, e no pódio especial recebeu o troféu de campeão .

“Agora é o momento em que toda a dedicação vale a pena;  penso nisso 24 horas por dia e faço tudo para chegar o mais bem preparado possível nos finais de semana. Só a minha esposa sabe o quanto eu me preparo e me dedico para evoluir como piloto. Aos poucos a ficha vai caindo. É muito legal ter meus amigos aqui, a minha equipe... Todo mundo faz parte disso. É muito especial”, continuou Daniel. 

O piloto de 34 anos soma dois títulos, contra três de seu pai, Chico Serra, tricampeão nos anos de 1999, 2000 e 2001. “Eu nunca pensei nos números do meu pai, mas ter conseguido dois títulos consecutivos – e ele venceu três – ia ser legal. Se eu conseguir chegar perto do que o meu pai fez, a minha carreira terá sido muito bem-sucedida”, concluiu o novo bicampeão da Stock Car.

Vice-campeão de 2018, Felipe Fraga cumpriu a promessa de lutar até o final e fez uma corrida impecável, partindo do 18º lugar para chegar em quinto. E fez um resumo da temporada. “Foi um campeonato muito bom. Estou feliz porque, como piloto, a minha performance melhorou, a cada ano mais. Mesmop eu não tendo  sido campeão, eu acho que sou um Felipe melhor do que 2016 e melhor ainda que 2017. É uma pena, faltou pouco”, falou, antes de elogiar o adversário.

Resultado Final*:
1. 10 Ricardo Zonta (Shell V-Power) – 25 voltas em 41min51s513 (154,4 km/h)
2. 4 Julio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) – a 4s414
3. 83 Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport) – a 5s894
4. 29 Daniel Serra (Eurofarma RC) – a 15s670
5. 88 Felipe Fraga (Cimed Chevrolet Racing) – a 16s271
6. 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 16s359
7. 80 Marcos Gomes (Cimed Chevrolet Racing Team) – a 16s587
8. 1 Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing) – a 19s415
9. 51 Átila Abreu (Shell V-Power) – a 19s725
10. 544 Gaetano di Mauro (Hero Motorsport) – a 20s519
11. 65 Max Wilson (Eurofarma RC) – a 20s989
12. 70 Diego Nunes (Full Time Bassani) – a 21s413
13. 44 Bruno Baptista (Hero Motorsport) – a 24s118
14. 21 Thiago Camilo (Ipiranga Racing) – a 24s403
15. 12 Lucas Foresti (Cimed Chevrolet Racing Team) – a 24s915
16. 18 Allam Khodair (Blau Motorsport) – a 32s977
17. 3 Bia Figueiredo (Ipiranga Racing) – a 34s303
18. 30 Cesar Ramos (Blau Motorsport) – a 37s816
19. 5 Denis Navarro (Cavaleiro Sports) – a 39s514
20. 33 Nelson Piquet Jr (Full Time Bassani) – a 1min06s954
21. 31 Willian Starostik (KTF Sports) – a 1min18s549
22. 20 Ricardo Sperafico (Bardahl Hot Car) – a 1 volta
23. 90 Ricardo Maurício (Full Time Sports) – a 1 volta
24. 11 Lucas di Grassi (Hero Motorsport) – a 1 volta
25. 8 Rafael Suzuki (Bardahl Hot Car) – a 1 volta
26. 77 Valdeno Brito (Eisenbahn Racing Team) – a 1 volta
NÃO COMPLETARAM
27. 9 Guga Lima (Vogel Motorsport) – a 8 voltas
28. 28 Galid Osman (Cavaleiro Sports) – a 8 voltas
29. 110 Felipe Lapenna (Cavaleiro Contuflex) – a 10 voltas
30. 0 Cacá Bueno (Cimed Chevrolet Racing) – a 18 voltas
31. 46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) – a 24 voltas
MELHOR VOLTA: Marcos Gomes, 1min37s098 (média de 159,7 km/h)


Fórmula Academy: Juan Vieira vence e é campeão em El Pinar


A última prova da temporada da Fórmula Academy Sudamericana consagrou o paulista Juan Vieira como campeão de 2018. O piloto venceu a segunda corrida do fim de semana, realizada na manhã deste domingo (9) no Autódromo Victor Borrat Fabini, em El Pinar, Uruguai, e superou o carioca Leandro Guedes, que terminou em segundo e garantiu o vice-campeonato. O uruguaio Andres De Araujo completou o pódio.

A prova foi marcada por muitas ultrapassagens. Facundo Ferra, que não terminou a primeira corrida, largou da quarta posição, mas rapidamente assumiu a dianteira. Com caminho livre pela frente, o piloto manteve-se firme na liderança. Vieira, em segundo, também fez uma boa largada e andou próximo do líder o tempo todo. Os dois ponteiros abriram uma distância confortável para o terceiro colocado Guedes.

Um pouco mais atrás, Bruno Testa e Andres De Araujo disputavam posições,
enquanto o vencedor da corrida de sábado, o uruguaio Facundo Garese, ficou pelo caminho logo na primeira volta. O desfecho, no entanto, foi favorável a Vieira, que assumiu a liderança nos instantes finais da prova. Desta forma, o piloto não teve problemas para faturar a vitória.

No campeonato, Vieira chegou aos 187 pontos, já que a pontuação é dobrada na última etapa. Guedes foi a 172, ao passo que Testa concluiu o ano em terceiro com 133 pontos. A Fórmula Academy Sudamericana tem promoção da Linardi Sports e conta com patrocínio da Engebras, Pirelli e America.net.

Resultado da segunda corrida:
1) Juan Vieira (BRA) – 13 voltas em 22min06s201
2) Leandro Guedes (BRA) – a 6s825
3) Andres De Araujo (URU) – a 18s251
4) Facundo Ferra (URU) – a 2 voltas
5) Bruno Testa (BRA) – a 4 voltas
6) Facundo Garese (URU) – a 13 voltas
Melhor volta: Facundo Ferra em 1min40s793

Classificação do campeonato:
1) Juan Vieira (BRA) – 187 pontos
2) Leandro Guedes (BRA) – 172 pontos
3) Bruno Testa (BRA) – 133 pontos
4) Nathan Brito (BRA) – 104 pontos
5) Bruna Tomaselli (BRA) – 86 pontos
6) Andrés De Araujo (URU) - 66 pontos
7) Enzo Bortoleto (BRA) – 53 pontos
8) Pedro Saderi (BRA) – 51 pontos
8) Facundo Garese (URU) - 51 pontos
10) Pedro Bürger (BRA) – 40 pontos
11) Pedro Lopes (BRA) – 38 pontos
12) Bruno Bertoncello (BRA) – 27 pontos
12) Cássio Cortes (BRA) – 27 pontos
14) Facundo Ferra (URU) – 26 pontos
15) Kiko Porto (BRA) – 25 pontos